8/1/20 17:52
Atualizado em 8/1/20 às 17:58

Energia própria: CEB assina convênio com Base Aérea

Repasse de recursos a fundo perdido será aplicado em usina de células fotovoltaicas

O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Companhia Energética de Brasília (CEB), assina nesta quinta-feira (9), no Ministério da Aeronáutica, um termo de cooperação com a Força Aérea Brasileira (FAB) para a construção de uma usina de células fotovoltaicas.

O repasse de R$ 5.096.330,90 a fundo perdido (quando o recurso dado não precisa ser devolvido) será aplicado na compra de equipamentos para montagem de uma mini-usina de energia elétrica capaz de abastecer quase 100% da base aérea de Brasília.

A expectativa é de que, com a produção e consumo de energia solar, a FAB, responsável pela gerência da base aérea, reduza o consumo atual de energia elétrica em 98,7%, o equivalente a 1.741,54 megawatts por ano (MWh/ano). Além disso, espera-se que a execução desse projeto da FAB forneça subsídios importantes para a formulação de políticas públicas de combate ao desperdício de energia elétrica na administração pública, reduzindo a conta de luz do órgão e estimulando a produção de energia não poluente.

Do total investido, cerca de R$ 4 milhões virão de recursos do Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia elétrica (ANEEL) e o restante de contrapartida da Força Aérea.

De acordo com o diretor de Regulação da CEB, Wanderson Silva de Menezes, as despesas com energia elétrica são um dos principais itens de custeio em várias instituições públicas e parte considerável desses gastos poderia ser evitada com as ações de eficiência energética. “Por isso é importante que cada vez mais projetos como esse sejam desenvolvidos e que com a economia gerada, os órgãos possam destinar os recursos para outros fins.”

As ações de eficiência energética previstas no projeto contemplam a substituição dos sistemas de iluminação (como a troca de lâmpadas de maior consumo por de LED), o condicionamento ambiental e aquecimento da água, além da implantação de uma mini-usina fotovoltaica, com potência instalada de 621,09 quilowatt-pico (kWp).