10/1/20 11:58
Atualizado em 10/1/20 às 11:58

Formados 122 médicos e enfermeiros pela Escola Superior de Ciências da Saúde

Durante a cerimônia, novos profissionais e autoridades ressaltaram a boa qualificação da faculdade

| Foto: Breno Esaki / SES

Na Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs), a noite desta quinta-feira (9) foi destacada pela solenidade de formatura da 14ª turma de medicina e da oitava turma de enfermagem, composta por 122 estudantes. A Escs faz parte do complexo da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), vinculada à Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES).

“Estou concretizando um sonho de todos da minha casa”, comemorou a recém-formada médica Eduarda Lopes, de 26 anos. “Foram três anos de cursinho e, nesse período, tive boas referências da Escs. Sempre quis fazer uma faculdade pública, e por esse motivo a escola sempre foi uma opção muito forte.”

Eduarda aproveitou para ressaltar que a Escs tem um diferencial em relação a outras escolas superiores. “Estar inserido constantemente nos serviços de saúde da Secretaria [de Saúde], desde o primeiro ano de formação, faz toda a diferença na relação com o paciente”.

Formação destacada

A enfermeira recém-formada Andreya Rodrigues, 39 anos, lembrou o papel dos professores na sua formação. “A Escs agregou muito à minha vida profissional e pessoal”, declarou. “Sou melhor graças aos meus professores, que me ensinaram muito, tanto cientificamente quanto para a vida. Eles são o exemplo de enfermeira que quero ser”.

Sobre o curso, a enfermeira destacou a formação teórica e humanista:  “Aprendi muito com a enfermagem e mudei minha concepção sobre o curso. A enfermagem é muito mais do que só prestar o cuidado simples e corriqueiro de procedimentos. Ela é uma ciência. Dentro da Escs, eu tive todo esse embasamento teórico, científico e humanista acima de tudo”.

A solenidade foi presidida pelo diretor-geral da Escs, Ubirajara Picanço, que deu as boas-vindas aos médicos e enfermeiros formandos e ressaltou a qualificação dos estudantes. De acordo com ele, a colação das duas turmas representa a formação de um contingente relevante de profissionais qualificados para o sistema de saúde do Distrito Federal.

“Além disso, registramos o empenho da Secretaria de Saúde em manter os nossos cursos funcionando, uma vez que foi aprovada, agora no fim de dezembro [de 2019], a lei de regulamentação da preceptoria, que é nosso elo da integração ensino e serviço”, disse Picanço. “Essa era uma pendência de muitos anos.”

Regulamentação

O secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, complementou que a Lei 6.455/2019, de autoria do Executivo, sancionada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, regulamenta a preceptoria nas carreiras médica, de cirurgião-dentista, enfermeiro e de assistência pública à saúde.

“Isso acontece depois de 59 anos do início das atividades na capital federal, garantindo o treinamento em serviço para os cursos de graduação e pós-graduação da Escs”, afirmou o secretário. “É por meio dessa ação do governador que a gente vem buscando trazer a legalidade e promover o que há de melhor para a população.”

Na avaliação do diretor-executivo da Fepecs, Marcos de Sousa Ferreira, a formação desses profissionais é uma honra para a Fundação. “A formatura está num contexto dos mais importantes do DF, que é a formação de médicos e enfermeiros que darão assistência à nossa população, principalmente na assistência primária à saúde”, valorizou.

* Com informações da SES