11/1/20 17:02
Atualizado em 12/1/20 às 23:18

Último dia dos reparos das duas unidades

Os reparos começaram a ser feitos no sábado (11) e têm previsão de conclusão nesta segunda-feira (13)

As equipes trabalham em ritmo intenso para concluir os reparos o mais breve possível. HRan estava sem contrato regular de manutenção há quatro anos | Foto: Divulgação / SES

Nas duas unidades de pronto-socorro do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), prossegue até esta segunda-feira (13) uma série de reparos iniciados no sábado (11). Os trabalhos contemplam o pronto-socorro geral e o obstétrico.

Os buracos e os estragos causados pela ação do tempo nas paredes estão sendo recuperados, com posterior aplicação de pintura nova. Fruto de parceria da direção administrativa do Hran com a Secretaria Adjunta de Gestão, essa ação ainda vai instalar novos bebedouros e aparelhos de ar condicionado.

“O Hran tinha pequenas demandas de pintura, de pequenos reparos nas paredes, troca de ar-condicionado e troca de bebedouros”, explica o secretário-adjunto de Gestão, Ronan Pereira. “Então, estamos fazendo um mutirão para consertar essas pequenas coisas que tornam um ambiente ruim”. Ronan foi conferir as obras pessoalmente, neste sábado, com o secretário-chefe da Casa Civil, Valdetário Monteiro.

Contrato emergencial

Sem um contrato regular de manutenção há quatro anos, o Hran, por meio do contrato emergencial feito em 2019 para todos os estabelecimentos de saúde do DF, teve a rede de esgoto e o telhado reformados.

“Foi muito bom a secretaria disponibilizar o pessoal nos últimos dias do contrato de manutenção, porque vai melhorar e ajudar muito”, explica a diretora administrativa da Região Central de Saúde, Márcia Vieira. “Traz um ambiente mais agradável e conforto para o paciente”.

Para a Secretaria de Saúde (SES), essa foi uma forma de aproveitar o contrato – que vai até segunda-feira (13) o máximo possível.  “Num curto espaço de tempo, conseguimos alavancar”, ressalta Márcia Vieira. “Só com a porta da pediatria reaberta, depois de anos fechada, e de conseguirmos melhorar a questão do ar-condicionado, já ocorre um impacto positivo para a população”.

 

* Com informações da SES