17/1/20 20:59
Atualizado em 17/1/20 às 21:07

UBS 7 faz primeira reunião de grupo de hipertensão e diabetes do ano

Encontros periódicos facilitam o acompanhamento dos pacientes

| Foto: Saúde-DF / Divulgação

A Unidade Básica de Saúde (UBS) 7 de Taguatinga iniciou o ano dando continuidade aos cuidados de pacientes portadores de doenças crônicas como hipertensão e diabetes. Nesta sexta-feira (17), as equipes Laranja e Prata reuniram cerca de 40 pacientes para dar instruções, realizar avaliações e marcar consultas, conforme a necessidade de cada um.

Os grupos que integram o Programa de Hipertensão e Diabetes (HiperDia) se encontram a cada 15 dias para acompanhamento. Além disso, os pacientes ainda recebem visita domiciliar uma vez por semana.

Compostas por enfermeiros, técnicos de Enfermagem e nutricionista, as equipes orientam seus pacientes de forma individualizada e coletiva. Nesses encontros de acompanhamento são feitas orientações sobre doenças crônicas, como pé diabético, além de avaliação e preenchimento da caderneta do idoso. Os pacientes também recebem orientações sobre alimentação saudável, entre outros assuntos.

Quando necessário, o paciente já sai com o retorno da consulta médica marcado. O acolhimento inclui uma avaliação sobre pé diabético.

“O objetivo é atualizar a situação clínica dos pacientes. Ensinamos sobre as patologias diabetes e hipertensão didaticamente, orientamos sobre os cuidados diários, fazemos o monitoramento e os cuidado com os pés dos diabéticos. Isso contribui para a fidelização dos pacientes junto à sua equipe de referência e garante a continuidade dos cuidados e do tratamento”, explica a enfermeira Cleia Mirtes da Silva Pinto.

Hiperdia

O programa se destina ao cadastramento e acompanhamento de portadores de hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus atendidos na rede ambulatorial do Sistema Único de Saúde (SUS). O programa HiperDia permite gerar informação para aquisição, dispensação e distribuição de medicamentos de forma regular e sistemática a todos os pacientes.

| Foto: Saúde-DF / Divulgação

O Brasil é o quarto país com maior número de diabéticos no mundo, segundo o International Diabetes Federation (IDF), perdendo para China, Índia e Estados Unidos. São 12,5 milhões (7%) de brasileiros afetados, conforme os dados do Ministério da Saúde. A estimativa é de que, até 2045, a doença atinja 522 milhões de brasileiros.

Já a hipertensão atinge 35% da população brasileira, estima o Ministério da Saúde, mas metade nem sabe disso.

Ambas as doenças precisam de tratamento e acompanhamento constantes para evitar o agravamento e as complicações que podem levar à morte.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde