23/1/20 20:14
Atualizado em 23/1/20 às 20:14

Secretaria de Saúde apresenta metas para 2020

Construção de um hospital oncológico e de sete UPAs estão entre os principais objetivos

Okumoto: “Todos os feitos e projetos elaborados são sempre para oferecer o melhor para a população” | Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

A Secretaria de Saúde apresentou nesta quinta-feira (23), no Palácio do Buriti, as metas da pasta para 2020. O evento foi realizado em conjunto com subsecretarias, representantes de órgãos e institutos vinculados. Entre as principais metas está a construção do Hospital Oncológico, de quatro novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de sete novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“É uma satisfação apresentar o trabalho realizado e a programação das ações que serão desenvolvidas nos próximos anos. É muito importante a integração de todos e a vontade de fazer acontecer. É um empenho em conjunto. Todos os feitos e os projetos elaborados são sempre para oferecer o melhor para a população”, destaca o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto.

Os projetos também foram apresentados pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), pelo Instituto de Cardiologia do DF (ICDF), pelo Hospital da Criança de Brasília (HCB) e pela Fundação Hemocentro de Brasília (FHB). As iniciativas contribuem com a assistência e com os serviços da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

“Precisamos unir e integrar, todos juntos, em um só objetivo, que é prestar assistência digna e humanizada para a população do Distrito Federal”, ressaltou o diretor-presidente do Iges-DF, Francisco Araújo.

O conjunto de metas estruturantes inclui ações planejadas entre as subsecretarias de Saúde e demais instituições que integram a rede.

Construções e demais obras

A elaboração de projetos de engenharia para construção e melhoria de equipamentos de saúde estão entre as principais metas. O início das obras do Hospital de Oncologia, com valor estimado em R$ 122 milhões; a construção de sete UPAs; a conclusão, ampliação, reformas e construção de UBSs; e a ampliação, reforma e licitação de novos hospitais são algumas das grandes obras de infraestrutura programadas para 2020.

“Todos os feitos e os projetos elaborados são sempre para oferecer o melhor para a população”Osnei Okumoto, secretário de Saúde

Na pasta de Vigilância à Saúde estão programadas ações que integram vigilância e assistência. Com isso, a subsecretaria visa garantir a aquisição de insumos estratégicos para os programas de saúde pública, informatizar a subsecretaria e suas diretorias, tratar 2 milhões de imóveis para controle de vetores e atingir a meta de cobertura vacinal preconizada pelo Ministério de Saúde – entre 80 e 95%, de acordo com o agravo.

Na busca de mais controle e redução de despesas, a Subsecretaria de Administração Geral tem entre as principais metas: extinção de despesas indenizatórias, pareceres referenciais para editais e contratos, revisão das portarias de contratação e execução contratual, reequilíbrio dos contratos, promover treinamentos para os servidores, mais publicidade em licitações e contratos e conclusão de licitações estratégicas como a do Sistema de Gestão Hospitalar.

Dentro das ações para reestruturar a secretaria, foram estipuladas metas como o credenciamento de mais 19 serviços, como o de fenda palatina e das UPAs 24 horas, no valor estimado de R$ 2,7 milhões. Também está prevista a criação de um ambiente na plataforma digital para o cidadão ter acesso aos serviços de regulação, marcação de consultas e monitoramento diário das filas. A ferramenta servirá também para que o gestor ou técnico da pasta tenham melhor controle de painéis de monitoramento e informações.

Balanço da Saúde reuniu no Buriti subsecretarias, representantes de órgãos e institutos vinculados |Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

Na área da Logística a principal meta é a licitação, contratação e implementação do Operador Logístico, sistema que vai modernizar e otimizar processos de gerenciamento, armazenamento e distribuição de insumos para o atendimento à saúde no DF. Uma cooperação com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) para a melhoria no atendimento da Atenção Primária é outra importante meta da assistência.

Órgãos e institutos vinculados

O Iges-DF colocou a construção de sete UPAs, a reforma da sala de manipulação de quimioterápicos, a abertura de mais uma sala cirúrgica e a reativação do décimo andar do Hospital de Base entre as principais ações a serem executadas em 2020.

No Hospital da Criança de Brasília a meta é credenciar 30 leitos de UTI junto ao Ministério da Saúde, o credenciamento para execução de transplante de medula óssea e a abertura de mais 54 leitos.

Já o ICDF visa implementar três programas, entre eles o “Coração Valente”, com o objetivo de criar uma linha de cuidado para melhorar o acolhimento das mães desde o diagnóstico fetal. O Hemocentro, por sua vez, vai nomear 50 novos servidores concursados e iniciar o programa de certificação junto à American Association of Blood Banks (AABB).

A Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) vai transferir a Escola de Enfermagem para o Campus da Asa Norte e aumentar a oferta de residência em 10%, em 2020, além de aumentar os recursos de fomento para pesquisa em 20%.

* Com informações da Secretaria de Saúde