27/1/20 13:06
Atualizado em 27/1/20 às 18:50

Calçadas e galerias dão novos ares a Ceilândia e Taguatinga

Duas obras serão tocadas pela Novacap e foram garantidas com recursos próprios e verba de emenda parlamentar

| Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

Duas obras da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) – uma com recurso próprio e outra com verba de emenda parlamentar –, ambas já em fase adiantada, modificarão para melhor a rotina dos moradores de Ceilândia. No centro, o problema de alagamento em frente ao Restaurante Comunitário está com os dias contados devido à implantação da rede de águas pluviais.

Já na via que divide a cidade com a QNL 16 de Taguatinga, o lixo acumulado de forma ilegal no canteiro é outro problema que deverá sumir do mapa com o tempo, em razão do andamento das benfeitorias a serem entregues ali em breve. Calçada e meios-fios, entre outras providências, impedirá que carroceiros depositem entulhos no local.

As obras nas duas localidades são executadas por empresas contratadas pela Novacap. A JF Engenharia é responsável por colocar 118 metros de rede pluvial em frente ao Restaurante Comunitário de Ceilândia. A galeria tem 400 metros quadrados de diâmetro. Além disso, serão instaladas quatro bocas-de-lobo e três poços de visita.

Este último item serve para acesso ao funcionário que for dar manutenção na tubulação e, também, para ajudar no escoamento da água. Na obra antiga, construída por governos anteriores, isso foi ignorado, o que provocava alagamentos em frente ao restaurante comunitário. “Agora, esse problema vai acabar, porque a água terá para onde escoar”, garantiu o coordenador de Licenciamento, Obras e Manutenção, Lindolfo Afonso Ribeiro.

De acordo com o chefe da Divisão de Obras da Diretoria de Urbanização da Novacap, Pablo Xavier, o valor da implantação da galeria vai custar R$ 95 mil e será bancado com recursos da própria companhia.

| Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

Próximo dali, um trecho da Via M3 Sul (QNM 33, sentido à QNL 16 de Taguatinga) que dava acesso livre ao canteiro central agora está cercado com meios-fios e logo terá calçada. A obra é executada pela Central Engenharia, que instalará 315 metros quadrados de calçada e 350 metros lineares de meio-fio. O objetivo é não somente levar comodidade aos pedestres, mas ainda impedir a prática criminosa de alguns carroceiros, que despejam lixo e entulho lá.

“O valor do investimento é de R$ 100,5 mil. O recurso provém de uma emenda da ex-deputada Telma Rufino [hoje, administradora do Setor Habitacional Arniqueira]”, acrescentou Pablo Xavier.

A obra é enaltecida e aguardada pelo auxiliar-administrativo do Centro Comunitário São Lucas, Júnior Marques. Ele conta que carroceiros queimam pneus e a fumaça invade o local, onde 200 crianças aprendem lições de música, judô, balé. “Eles atrapalham demais. Já teve menino aqui que se sentiu incomodado com a fumaça”, lamenta.

Galeria de Fotos

Calçada e galeria em Ceilândia