28/1/20 19:58
Atualizado em 28/1/20 às 20:05

Rede pública se prepara para a volta às aulas

Diagnóstico do Instituto Ayrton Senna coloca o DF em 1º lugar nos indicadores nacionais de qualidade em infraestrutura

Diagnóstico do Instituto Ayrton Senna: DF ocupa 1º lugar em infraestrutura da rede pública | Foto: Mary Leal / SEEDF

O início das aulas se aproxima. Será no dia 10 de fevereiro. As escolas da rede pública se preparam para receber mais de 460 mil estudantes para o novo ano letivo. No total, 678 das 683 unidades da rede estão finalizando os preparativos para atender os estudantes.

Cinco escolas estão fechadas, quatro delas há mais de dois anos. Uma delas será devolvida à comunidade no próximo mês de abril e o processo para a reconstrução das demais está em andamento.

Conheça a rede pública de ensino do DF em Nossa Rede.

Diagnóstico educacional publicado em dezembro de 2019 pelo Instituto Ayrton Senna coloca o Distrito Federal em primeiro lugar nos indicadores nacionais de qualidade em infraestrutura da rede de escolas públicas, além de diversos quesitos que promovem o aprendizado e o desenvolvimento dos estudantes. A rede pública de ensino aparece na ponta de análises como, por exemplo, da qualidade de infraestrutura física e de apoio das unidades educacionais de ensino fundamental, desbancando os outros 26 estados do Brasil.

Veja os gráficos:

Clique aqui para mais informações.

Inaugurações

Atendendo à grande demanda por creches, cinco unidades devem ser inauguradas em fevereiro. São elas: CEPI Papagaio, em Ceilândia; CEPI Cajuzinho, no Lago Norte; CEPI Periquito e CEPI Bem-te-Vi, ambas em Samambaia; além do CEPI Crixá, em São Sebastião. Além disso, o governo também planeja o lançamento do Programa Cartão Creche, que abrirá mais vagas para atender esse público.

Os estudantes da pré-escola e dos anos iniciais do ensino fundamental do Sol Nascente poderão estudar em uma nova unidade, a Escola Classe Juscelino Kubitschek, que será inaugurada para o início das aulas. O espaço atenderá cerca de 960 alunos em um prédio com quadra coberta, sala de música, pátios com piso emborrachado entre diversos outros ambientes adequados para o ensino de qualidade.

Pelas regionais

As 14 regionais de ensino estão trabalhando intensamente nos preparativos para a volta às aulas. Em Taguatinga, a Escola Classe Vicente Pires contou com reparos na rede elétrica, nas instalações hidrossanitárias e cobertura de espaços, de modo a proteger os alunos das chuvas. A Escola Classe 06 de Planaltina também passou por melhorias durante o recesso escolar. A unidade ganhou nova pintura, reformas de portas e janelas, além de adaptação de salas e banheiros para a educação infantil.

Os estudantes da Escola Classe 303 de São Sebastião frequentarão uma escola bastante diferente em relação ao início de 2019. A unidade teve o piso de corredores e pátio corrigidos, lâmpadas de postes trocadas, instalação de alambrados na quadra esportiva, além de reparos nos banheiros, incluindo troca de válvulas e instalação de bancada de mármore.

As outras unidades da rede receberam serviços de manutenção e reparos diversos, executados pela empresa prestadora de serviço da SEEDF ou por meio de recursos de emendas parlamentares, incluindo pinturas, trocas de pisos, construção de parquinhos, coberturas de quadras, trocas de rede elétrica e consertos de muros e portões, entre outros.

Para 2020, a Secretaria de Educação conta ainda com planejamento de manutenção preventiva e corretiva nas escolas da rede. Os investimentos iniciais previstos para o ano somam R$ 40 milhões.

Reabertura de escolas fechadas

Os estudantes de duas das cinco escolas fechadas terão boas notícias em breve. As obras no CEF 01 da Vila Planalto estão em fase final e a reinauguração está prevista para abril. No segundo semestre, os da unidade alunos retornam para lá. Por enquanto, estão sendo atendidos no CEF Planalto (315 Sul).

A Secretaria deve anunciar nos próximos dias um novo espaço exclusivo para os estudantes da EC 52 de Taguatinga, alocados momentaneamente na EC 45. A licitação para a reconstrução da escola já foi autorizada pelo TCDF em janeiro e o edital será republicado.

Nas demais, os processos estão em andamento. A Escola Classe 59 de Ceilândia está fechada desde 2018. Os alunos estão sendo atendidos no prédio do CEM 04, na mesma região. O CEM 10 está fechado desde 2016 e os estudantes foram encaminhados para o CEF 29. Ambas as escolas estão com edital em análise e aguardam licitação para reconstrução. Para o CAIC Castello Branco (Gama), o edital de licitação também está em fase de análise e os estudantes estão na EC 29.

 

* Com informações da Secretaria de Educação