30/1/20 19:22
Atualizado em 30/1/20 às 19:27

Saúde reúne equipes para resposta ao coronavírus

Reunião transcorreu na tarde desta quinta-feira (30), no auditório do Laboratório Central, com grupos de vigilância e assistência

Okumoto: “Estamos preparados” | Foto: Geovana Albuquerque / Saúde-DF

Apesar do Distrito Federal não ter qualquer caso suspeito do coronavírus até o momento, a Secretária de Estado de Saúde tem se preparado para a vigilância e assistência caso surja alguma ocorrência. Para tanto, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, reuniu-se na tarde dessa quinta-feira (30) com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde, o Laboratório Central (Lacen), a Secretaria de Assistência Integral à Saúde (Sais) e as superintendências regionais de saúde, além das direções dos hospitais, para esclarecer e repercutir as orientações passadas pelo Ministério da Saúde. O objetivo é orientar a rede quanto ao atendimento a possíveis casos suspeitos.

O Brasil ainda não tem qualquer caso comprovado da doença, mas existem nove suspeitas sob investigação em alguns estados. Apesar de casos da doença terem sido confirmados em 16 países, a China continua como a única área de transmissão local.

O Lacen é o laboratório de referência para análise das amostras de casos suspeitos, inclusive para a rede hospitalar privada. Os diretores dos hospitais foram orientados quanto aos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), que devem ser disponibilizados para os profissionais de saúde na linha de frente do atendimento.

“Sei que posso contar com o empenho de todos. Em caso de necessidade, contra o coronavírus não será diferente”Osnei Okumoto, secretário de Saúde

O secretário informou que acompanha de perto a organização da rede, bem como o suprimento do material necessário. “Sei que posso contar com o empenho de todos. Tanto no Lacen quanto na Sais temos profissionais competentes e comprometidos com o cuidado da população. E sei que, em caso de necessidade, contra o coronavírus não será diferente. Nós estamos preparados”, ressaltou o secretário.

Orientações do Ministério da Saúde foram repassadas a diversos atores do setor no Laboratório Central | Foto: Geovana Albuquerque / Saúde-DF

 

* Com informações da Secretaria de Saúde