6/2/20 13:08
Atualizado em 6/2/20 às 13:45

Líderes religiosos se juntam ao GDF no combate à dengue  

Entidades assistenciais também vão participar da campanha, que tem o objetivo de mobilizar a população no enfrentamento contra o Aedes aegypti  

| Foto: Arquivo Agência Brasília

Em mais um esforço do GDF para eliminar focos do Aedes aegypti, a Unidade de Assuntos Religiosos e a Secretaria de Saúde lançaram, na manhã desta quinta-feira (6), uma campanha de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, em parceria com lideranças religiosas e entidades assistenciais.     

O secretário da Unidade de Assuntos Religiosos, Kildare Meira lembra que uma das principais formas de enfrentamento da proliferação da doença é a informação, por isso a importância da comunicação direta que os líderes religiosos têm com a população. “É uma forma de difundir esses conhecimentos, a custo zero. Uma das frentes desses locais é a defesa da vida e a campanha é uma forma de fazer isso”, destaca.

Ainda segundo Meira, a ideia é fazer um dia D de combate à dengue, possivelmente em 14 de fevereiro. “Padres, pastores, médiuns, entre outros, podem tirar um tempo durante as missas, cultos, sermões para orientar sobre como combater o Aedes aegypti. É um movimento de defesa da saúde dos fiéis”, ressalta.   

É o que o padre Roberto de Pinho, 40 anos, pretende fazer na Paróquia São Camilo de Lellis, localizada na Asa Sul. “A igreja está no mundo para o bem estar do ser humano, o que inclui a saúde. A ação do governo tem tudo a ver com o Evangelho, pois é uma algo que está ligado ao dia a dia da comunidade”, comenta.

O Bispo Valmir Leite, 49 anos, lembra que, muitas vezes a população não toma os devidos cuidados e, por isso, os focos do mosquito acabam se multiplicando. “Temos pouco cuidado com a nossa própria vida e com a do próximo. Todos os dias vamos bater nessa tecla, além do dia D, até que as pessoas percebam que o estrago que a dengue pode fazer”, alerta o responsável pela Assembléia de Deus Altar em Chamas, localizada no Guará.  

Intolerância religiosa 

Além do enfrentamento da doença, a coordenadora de Políticas de Promoção e Proteção à Liberdade Religiosa, da subsecretaria de Direitos Humanos e Igualdade Racial, da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), Adna Santos ressalta que é uma forma de todas as religiões trabalharem em conjunto.

Ainda de acordo com a coordenadora, mais conhecida como Mãe Baiana de Oyá, a ideia é fazer uma parceria com a Administração Regional do Paranoá para fazer uma caminhada de combate à dengue com a comunidade local.  

Ações do GDF 

“Nós estamos trabalhando duro no combate, mas é preciso que cada um faça sua parte”, disse o subsecretário de Vigilância à Saúde. Foto: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero reforçou que a saúde pública tem que ser feita com a ajuda de todos. “A dengue não é um problema dos outros, mas sim de todos. A gente não tem gestão dentro da casa das pessoas. Nós estamos trabalhando duro no combate, mas é preciso que cada um faça sua parte. Fizemos um levantamento e temos em média, por região, de 15 a 40 acumuladores de lixo, por exemplo”, lembrou. 

Este mês, a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, vinculada à Secretaria de Segurança Pública (SSP), passou a enviar notificações, por meio de seu sistema de alertas – via SMS – sobre locais com focos de dengue nas regiões administrativas. O novo serviço faz parte de uma parceria da SSP com a Secretaria de Saúde (SES), por meio da Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival).

Para um resultado satisfatório, é necessário que o maior número de moradores faça o cadastro junto à Defesa Civil. Basta enviar o CEP do local de interesse para o número 40199.

Nessa quinta-feira (5), a Secretaria de Saúde e o Corpo de Bombeiros, em parceria com outros órgãos do GDF, utilizou drones para vistoriar imóveis fechados no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Um levantamento feito pela administração regional apontou cerca de 150 espaços com possíveis criadouros de mosquito da dengue na região.

Ainda esta semana, a pasta da Saúde também se uniu ao Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER/DF) para que os servidores que atuam nas estradas do DF eliminem possíveis criadouros da dengue nas áreas onde trabalham.

As equipes de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde iniciaram as visitas domiciliares em vários pontos da capital. O objetivo é detectar focos do mosquito e colher informações para o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) – documento previsto para ser lançado neste mês. Com os dados, será possível traçar novas estratégias regionais, aumentando a efetividade das ações.

Dicas para combater a proliferação do Aedes aegypti

-Tampe os tonéis e caixa d’água; 

-Mantenha as calhas sempre limpas; 

-Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo; 

-Deixe ralos limpos e com aplicação de tela; 

-Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;

-Retire a água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.

Galeria de Fotos

Líderes religiosos se juntam ao GDF no combate à dengue