18/2/20 17:01
Atualizado em 18/2/20 às 17:23

Cresce o número de matrículas na educação infantil do DF

Ingresso de estudantes em creches e pré-escola aumentou 4% em 2019

O número de crianças de zero a cinco anos matriculadas em escolas de Educação Infantil do Distrito Federal cresceu 4% em 2019, em relação a 2018, segundo dados do Censo Escolar realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). No ano passado, 104.814 estudantes conseguiram ingressar em creches ou escolas públicas e particulares de pré-escola, enquanto no ano anterior o número de ingressos foi de 100.531.

Se analisadas separadamente as duas categorias, creches e pré-escolas, o aumento de 4% no número de matrículas é o mesmo para cada. Em 2019 as creches receberam 1.219 matrículas a mais do que em 2018. Na pré-escola, foram 3.064 novos alunos.

“Esses números permitem observar o comprometimento do GDF com a ampliação da oferta de vagas na rede de educação básica distrital”Vinicius Shuabb, gerente de Pesquisas da Codeplan

Segundo dados do Censo Escolar do DF, realizado pela Secretaria de Educação do DF, esse resultado positivo se deve principalmente ao aumento do número de vagas nas redes pública e privada conveniada com o GDF. Em 2019, o setor correspondeu a 62% do número total de matrículas na educação infantil e apresentou crescimento de 5% em relação a 2018.

Para enfrentar o histórico problema do déficit de vagas em creches públicas, o Governo do Distrito Federal lançou o cartão-creche, no valor de R$ 803,57, que dá direito à matrícula de crianças de até 3 anos e 11 meses em instituições conveniadas. O programa vai beneficiar 5 mil alunos de baixa renda e a expectativa do governo é zerar a fila de espera com a criação de mais 15 mil vagas.

O gerente de Pesquisas da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Vinicius Shuabb, avalia que há um avanço da política pública de inserção escolar. “Esses números permitem observar o comprometimento do GDF com a ampliação da oferta de vagas na rede de educação básica distrital, que tende a se ampliar ainda mais nos próximos anos com o lançamento de novos programas. Como o Cartão Creche, que prevê a criação de novas 20 mil vagas em creche em dois anos.”

Fundamental e médio

Ao contrário da tendência de aumento no número de matrículas na educação infantil, o ensino fundamental, do 1º ao 9º anos, apresenta uma baixa no ingresso escolar entre 2018 e 2019. No ano passado, foram contabilizadas 374.927 contra 377.622 em 2018.

A pesquisa revela que grande parte dos alunos que entram nos anos iniciais desta fase (55%) não chega aos anos finais, quando 45% do total registram matrículas. Em 2019, 73% dos alunos do Ensino Fundamental estavam matriculados em escolas públicas.

Apesar dos bons índices nas séries iniciais, o Distrito Federal segue e tendência nacional quando se trata do ensino médio. Nesta fase há uma drástica baixa no número de matrículas, ainda segundo os dados.

As escolas públicas receberam 80.623 matrículas, 73% do total, enquanto as unidades privadas receberam 25.916 alunos. O ensino médio federal contou com 3.481 matrículas em 2019, 3% do total da rede de ensino do DF.

 

Educação Básica

A educação básica, que abrange a educação infantil e os ensinos fundamental e médio, contabilizou 657.869 matrículas no Distrito Federal, sendo 69% registradas em unidades de ensino distritais, 30% em privadas e 1% em federais.

A proporção de alunos do sexo feminino e masculino é equilibrada: 50% do sexo feminino e 50% do sexo masculino. No recorte de etnia, o estudo mostra que 39,7% dos alunos se declaram pretos ou pardos, 25,8% brancos, 0,4% amarelos, 0,1% indígenas e 33,9% não declarados.

 

*  Com informações da Codeplan