20/2/20 9:39
Atualizado em 20/2/20 às 9:39

Folião-mirim vai ganhar crachá ou pulseira de identificação

Polícia Militar organiza campanha para garantir a segurança da garotada. Basta preencher uma ficha no site da corporação e imprimi-la; ou, então, ir ao Na Hora da Rodoviária 

O adulto que pretende levar criança para folia deve ficar atento a algumas dicas e orientações. A Polícia Militar do Distrito Federal deu início à Campanha de Identificação Infantil para o Carnaval 2020. Serão oferecidos ao pequeno folião crachá ou pulseira com nome dele, contato dos pais e endereço para auxiliarem as autoridades caso se perca do responsável durante a festa. 

É preciso observar ainda a faixa etária e o horário permitidos do público infantil nas atrações conforme determina a Vara da Infância e da Juventude (VIJ-DF). Tudo isso para garantir o sucesso da brincadeira.

Foi assim que pensou o eletricista Cléber Ubiratan Figueiredo, 41 anos. Ele levou o filho João Vinícius Pimentel Figueredo, 7, para o posto do Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto na tarde desta terça-feira (18), onde imprimiu o crachá preparado pela PM. 

Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

“Apesar de ter cuidado com ele, a gente nunca sabe o dia que vai precisar. Então, com o crachá, eu me sinto mais seguro”, disse o morador de Alvorada (GO), que pretende vir a um bloquinho de criança durante o Carnaval em Brasília.

Ubiratan se dirigiu ao Na Hora porque não tinha como fazer a carteira do filho em casa. Mas quem tiver computador, internet e impressora, basta acessar o site da Polícia Militar e clicar aqui

Lá, o cidadão encontrará o formulário já em forma do crachá. Então, deverá pôr os dados do folião-mirim e inserir uma foto. Essas informações ficarão na frente do documento. Pronto. É só imprimir e usar no dia da folia.

Além desse modelo de identificação infantil, os pequenos foliões terão a opção da pulseira. Por ser um dos métodos mais utilizados pelo público nos últimos carnavais, ela facilita a identificação infantil, por ser melhor fixada, dificultando a perda. 

Diferentemente do crachá, que só é feito pelo site da PM, a pulseirinha será entregue e preenchida por policiais nos postos de identificação da PM espalhados nos principais bloquinhos públicos durante o carnaval.

Apesar de pulseira ser mais prática, a criançada opta mais pelo crachá. A chefe da Divisão de Relações Públicas da Polícia Militar, tenente Vanessa Valadares, conta a razão: O crachá tem o símbolo da PM e a fotinha da criança. Mas podemos atender todos os gostos”, destaca. “Mas é bom lembrar: o crachá não será feito na festa”.


Como agir
A orientação para quem encontrar uma criança que se separou do responsável é levá-la até um posto da PM mesmo que ainda esteja identificada com o crachá ou pulseira da PM. Lá, os policiais utilizarão as informações para localizar os pais.


Vale observar ainda algumas regras estabelecidas pela Vara da Infância e da Juventude (VIJ-DF) para a presença dos foliões mirins em atrações do Carnaval. Em bailes e matinês, só será permitida a entrada de crianças e adolescentes em festa que acabe até as 20h – e somente acompanhados dos responsáveis.

O mesmo se aplica para os bloquinhos. Os brincantes com até 16 anos deverão estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais. Estes terão de portar documento de identificação oficial para fins de comprovação.

Os agentes de proteção da Vara da Infância estarão presentes nos eventos carnavalescos para fiscalizar a entrada e permanência do público infantojuvenil.

A supervisora da seção de Proteção da VIJ-DF, Ana Luíza Müller, esclarece que o olhar cuidadoso de todos voltado ao público infantojuvenil contribui para que os festejos de Carnaval transcorram sem maiores incidentes. “Dessa forma, o benefício não é apenas dos jovens, mas de toda a população local”, garante.