28/2/20 16:51
Atualizado em 29/2/20 às 18:49

Voo de helicóptero ajuda a identificar focos de Aedes 

Ação realizada pelo Corpo de Bombeiros e Vigilância Ambiental na região da Fercal encontrou reservatório repleto de larvas

Um sobrevoo do helicóptero do Corpo de Bombeiros com equipes da Vigilância Ambiental no perímetro da Fercal, na manhã desta sexta-feira (28), identificou diversas piscinas com água totalmente inadequadas, com possíveis focos do aedes aegypti nas áreas mais distantes das residências. 

“Diante do que vimos, nossa primeira atitude foi, em solo, convocar a equipe de vigilância ambiental da região para ir a estes imóveis com piscina e verificar a existência de foco do mosquito. Na primeira que visitamos, encontramos uma infestação de aedes e já colocamos pastilhas biológicas que liberam partículas capazes de matar as larvas”, conta o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

Ele diz que, em razão da extensa área e do difícil acesso, será montada uma equipe que fará uma varredura em toda região, na próxima semana, para vistoriar todos os imóveis georeferenciados durante o voo.

Foto: Secretaria de Saúde-DF

“Pretendemos fazer este trabalho em outras regiões do Distrito Federal também, onde o acesso é mais difícil. Ainda estamos analisando em quais áreas poderemos fazer este sobrevoo”, adianta Edgar.

Ele acrescenta, porém, que pessoas com piscina em casa devem ter o cuidado de tratar a água semanalmente, para evitar riscos de atrair o mosquito causador da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. 

“Uma piscina como a que encontramos na vistoria da Fercal é capaz de infectar uma região inteira. Por isso, é preciso muito cuidado”, orienta.

Força-tarefa
Neste sábado (29), a Sala Distrital de Combate ao Aedes Aegypti fará uma nova força-tarefa em quatro cidades onde foram identificados muitos casos prováveis de dengue.

Fercal, Gama, São Sebastião e Vicente Pires recebem 200 bombeiros e 120 agentes de vigilância ambiental que visitarão imóveis residenciais e comerciais para vistoriar e tratar focos do mosquito, além de orientar a população sobre os cuidados para evitar o aedes.

Desde o início do ano, ações semelhantes têm sido realizadas em todas as cidades do Distrito Federal.

* Com informações da Secretaria de Saúde-DF