4/3/20 15:52
Atualizado em 10/3/20 às 9:17

Mutirão de ações contra a dengue na Vila DVO

Governo planta 200 mudas como alerta para manutenção da limpeza de áreas. Mais de 150 servidores fazem trabalhos de fiscalização e prevenção sobre Aedes aegypti

Carros abandonados são focos potenciais de reprodução do mosquito | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Cerca de 200 mudas de árvores frutíferas estão sendo plantadas na Vila DVO (Gama) como forma de alerta. A ideia é conscientizar a população sobre a importância de manter a cidade limpa para combater a proliferação dos mosquitos da dengue. A iniciativa é uma das ações previstas para esta quarta-feira (4) naquela região e reúne um mutirão de 150 servidores, de vários órgãos do governo, em atividades de fiscalização e prevenção sobre o mosquito Aedes aegypti.

Veja mais no vídeo:

 

O objetivo do trabalho é mobilizar e conscientizar a população sobre a importância da contribuição de cada um na prevenção das doenças causadas pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. “Queremos trazer a população para junto das ações do governo, para que eles também possam sentir a responsabilidade de cuidar dos espaços para preservar vidas”, explica a coordenadora do Geiplandengue da Região de Saúde Sul, Maria Aparecida Ribeiro – Geiplandengue é a abreviação de Grupos Executivos Intersetoriais de Gestão do Plano de Prevenção e Controle da Dengue e outras Doenças Transmitidas pelo Aedes, estrutura formalizada no Decreto nº 40.242/2019.

Segundo a coordenadora, durante todo o dia equipes da Vigilância Ambiental da Região Sul visitarão residências para alertar sobre os cuidados necessários no combate à proliferação do mosquito. “Faremos as visitas domiciliares para alertar e caso, haja necessidade, os agentes vão notificar os moradores e orientar para uma conduta mais adequada”, explica.

O lixo e o acúmulo de inservíveis, principalmente nesta época de chuvas, é uma das principais preocupações do governo. “Apesar de intensificarmos o recolhimento, muitas pessoas estão deixando de lado o cuidado em seu próprio quintal. E isso não pode acontecer”, acrescenta Maria Aparecida.

Trabalho envolveu órgãos como SLU, Novacap e DF Legal | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Ajuda indispensável

Morador da Travessa Castanheira, o aposentado Francisco Souza acompanhou parte dos trabalhos do mutirão. Ele enfatiza que a ação do governo é importante, mas precisa de uma “ajudinha da população”. “Muita gente não está levando a sério. Acha que pode jogar lixo na porta do outro. O mosquito que vem aqui vai até a casa deles também”, critica.

Na casa do aposentado, pelo menos duas pessoas já contraíram dengue. “É uma coisa muito séria e a gente mantém tudo limpo, porque conhece a consequência. É uma doença que mata e prejudica muitas famílias. Todo mundo precisa assumir esse compromisso da prevenção”, acrescenta.

Na manhã desta quarta-feira, o mutirão se concentrou na Rua das Violetas, na Rua Primavera e na Travessa Castanheira. Além dos agentes da Vigilância Ambiental, estavam presentes auditores de Fiscalização do DF Legal, servidores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), da Secretaria de Segurança Pública, da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e da Administração Regional do Gama.

Galeria de Fotos

Mutirão de ações contra a dengue no Novo Gama