5/3/20 17:37
Atualizado em 5/3/20 às 17:37

Projeto Grafite homenageia mulheres em paradas de ônibus

Ação da Secretaria de Segurança Pública chama atenção, durante todo este mês, para questões que envolvem as mulheres no DF

Grupos de mulheres grafiteiras voluntárias vão produzir arte mural em vários pontos de ônibus do DF | Foto: Divulgação / SSP

Durante todo este mês, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) trabalha em uma série de ações alusivas ao Dia Internacional da Mulher. Como parte iniciativas, a partir desta sexta-feira (6), será dado início ao projeto Grafite nas Paradas de Ônibus.

Sempre às sextas-feiras, as mulheres serão homenageadas por meio da arte gráfica urbana do grafite. Forças de segurança e outros órgãos governamentais terão divulgadas as atividades voltadas à atenção e proteção das mulheres e meninas, em especial aquelas em situação de violência.

Voluntárias de todo o DF vão produzir as artes em quatro paradas de ônibus, num trabalho que inicialmente contemplará Planaltina, Recanto das Emas, Samambaia e Sobradinho. Os locais específicos dessas intervenções urbanas foram definidos em conjunto com as administrações regionais de cada cidade, levando em consideração a proximidade com as escolas que adotaram o modelo de gestão compartilhada de ensino.

Atuação ampliada

Segundo a diretora de Resolução Pacífica de Conflitos de Conflitos, Marina Fernandes, a ação que homenageia as mulheres por meio das grafiteiras surgiu em razão de a atividade ser principalmente desempenhada por homens. “Queremos mostrar que cada vez mais as mulheres atuam na arte urbana, inclusive a professora de grafite da Secretaria de Segurança Pública é uma mulher”, ressalta. “Nossa ideia é demonstrar que hoje as meninas e mulheres podem e devem ser o que elas quiserem”.

O trabalho terá início sempre às 14h. Enquanto são feitas as pinturas, serão disponibilizados, nas proximidades das paradas de ônibus, haverá oferta de serviços às mulheres e divulgação de informações sobre a rede de atenção e proteção desse público.

As ações em destaque incluem a unidade móvel da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e representantes do programa Pró-Vítima, da Secretaria de Justiça (Sejus), além de atendimentos dos núcleos jurídico e psicossocial da Defensoria Pública e o Ônibus da Mulher, da Secretaria de da Mulher.

Integração

Com inauguração prevista para o fim deste mês, a Clínica da Mulher, na Asa Sul, desponta como mais uma realização de relevo programada pela SSP para março. Nas proximidades da clínica, uma parada de ônibus receberá a visita das voluntárias, que imprimirão, no local, sua arte com o grafite.

Atualização de dados

Ainda nesta semana, a secretaria vai relançar a campanha de prevenção ao feminicídio #MetaaColher, que apresentará dados atualizados sobre esse tipo de crime no DF.

Com o slogan “A melhor arma contra o Feminicídio é a colher”, o movimento se fundamenta em estatísticas levantadas pela Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios (CTMHF) da SSP.

Um desses levantamentos constatou que mais de 70% dos crimes no DF acontecem dentro de casa, em contexto de violência no ambiente familiar, longe da intervenção do Estado.

* Com informações da SSP