6/3/20 9:35
Atualizado em 6/3/20 às 10:32

Centro de Saúde da Mulher: assistência completa para elas

Em entrevista à Agência Brasília, a supervisora da unidade, Séfora Hamada, destaca o atendimento multiprofissional que será oferecido pela clínica

Com o objetivo de dar assistência integral às mulheres da capital, o Governo do Distrito Federal anunciou no começo desta semana a criação do Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu). Com especialidades médicas e serviço de apoio às vítimas de violência doméstica, a unidade funcionará na policlínica localizada na 514 Sul. O espaço passa por reformas feitas pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e, além de mais profissionais, ganhará consultórios e box de acupuntura. 

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Em entrevista à Agência Brasília, Séfora Hamada – indicada para ser a supervisora da unidade – explica que o centro faz parte de uma série de ações desenvolvidas pelo governo local no mês da mulher, como a construção de mais quatro Casas da Mulher Brasileira e campanhas publicitárias para promover a vacinação contra HPV, realização de exames preventivos, citopatológicos e mamografias. 

“O governo aproveitou este o mês da mulher para desenvolver uma proposta muito importante: concentrar profissionais especializados e cuidar da população feminina. O perfil da unidade será exclusivamente de mulheres que vão encontrar em um só lugar uma assistência completa“, garante Séfora. A enfermeira lembra que o atendimento inicial ainda será feito nas Unidades de Saúde Básicas (UBSs) e que, a depender da complexidade do caso, a paciente será encaminhada para a clínica, além de chamar a atenção para exames preventivos.    

Qual o perfil do Cesmu?

Nele, as mulheres vão encontrar em um só lugar uma assistência completa. Também é uma forma de desafogar as demandas dos outros locais, pois  estamos oferecendo mais vagas em outras especialidades, como vai ser no caso da acupuntura. 

Qual a diferença dessa unidade para as que já existem, como as Unidades Básicas de Saúde (UBS)? 

Será um trabalho integral. A mulher vai passar por profissionais que vão estar voltados especificamente para ela nas várias fases da vida. Na gestão pré-natal de alto risco, por exemplo, ela terá um acompanhamento desde o início e depois vai fazer puerpério (pós-parto). No caso da oncologia, vamos ter um oncoginecologista. Também teremos uma mastologista – e a biópsia da mama será feita no local. Em suma: será um lugar de referência para as mulheres procurarem o tratamento específico. 

O Cesmu será na Policlínica da 514 Sul. O local será adaptado? 

Sim. A obra sendo feita pela Novacap. A parte de demolição começou nesta quarta-feira (4) e a previsão é de que a clínica seja inaugurada este mês. Será construída uma identidade visual voltada para o público feminino. Vamos dobrar o número de consultórios ginecológicos – atualmente temos dois e serão construídos mais dois, com banheiros. Também teremos mais ofertas de acupuntura, onde há uma fila de espera. Outro serviço será a abertura de uma farmácia dentro da unidade – e vamos ofertar alguns exames que não são feitos hoje em dia. A Policlínica foi escolhida por conta da localização privilegiada. A W3 Sul tem acesso para todas as localidades do DF. 

Durante a reforma o atendimento na Policlínica será interrompido?   

A pediatra será transferida para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e para o Adolescentro [centro de referência de saúde integral ao adolescente da Secretaria de Saúde]. A acupuntura também será realocada para o centro. Já a sala de vacina e os atendimentos de ginecologia continuam funcionando normalmente aqui.

Quais serão as especialidades ofertadas? 

Ginecologista, endocrinologista, mastologista, oncoginecologista, nutricionista, dermatologista, psicólogo, assistente social e acupunturista. Hoje, apenas ginecologistas estão lotados na unidade. Será uma força de trabalho nova e que vai aumentar a oferta para as mulheres de todas as regiões da capital. 

Como será o atendimento?  

As mulheres serão direcionadas pelas UBSs [Unidades de Saúde Básicas]. De acordo com a necessidade, ela será atendida por um grupo multiprofissional. Inicialmente, será acolhida pela  equipe de enfermagem, que traçará um plano de assistência da mulher para o serviço, selecionando as especialidades para as quais a paciente necessita de atendimento. Isso é um diferencial, pois ela será encaminhada para um serviço e não diretamente para o profissional. 

O Cesmu também prestará apoio às vítimas de violência… 

Sim. Teremos equipes compostas por psicólogos e assistentes sociais para realizar ações diretamente dirigida a esses grupos. Além de encaminhadas para cá, elas terão um acompanhamento. Há várias propostas nesse sentido, como o atendimento de controle pós-traumático. 

Precisamos incentivar para que as mulheres procurem as UBSs para exames preventivos. Quando alguma doença é identificada, é possível fazer o tratamento em tempo hábil

Mas a mulher já consegue atendimento pleno em toda a rede de saúde do DF? 

Com certeza. Aqui não será um serviço de porta aberta. Elas ainda devem continuar ingressando pelo sistema público de saúde pelas UBSs. De acordo com o complexidade de cada caso, a paciente será encaminhada para cá.  

Quais são as doenças mais comuns que atingem a mulher?

Cânceres de colo, de útero e de mama. Vamos acompanhar aqui todos aqui. Também vamos focar em evitar complicações nas gestação, com relação ao pré-natal de médio e alto risco. Muitas vezes há alta incidência de diabetes. 

Qual é a importância da prevenção? 

Precisamos incentivar para que as mulheres venham às UBS para fazer os exames preventivos. Quando alguma doença é identificada, é possível fazer o tratamento em tempo hábil. Sabemos que o câncer de mama, por exemplo, quando diagnosticado em estágio inicial, é perfeitamente tratável – assim como o de colo de útero. Então, é importante que os exames preventivos estejam em dia.


Serviço 

O Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu) funcionará de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h, e das 13h às 18h, exceto feriados.  

Local: EQS 514/515, W3 Sul


Atendimentos que serão feitos no Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu)   

Foto: Renato Alves/Agência Brasília


Acolhimento da gestante de alto risco referenciada;

Atendimento por equipe multiprofissional com elaboração de Projeto Terapêutico Singular, Plano de Parto (em casos de gestantes);

Acesso aos medicamentos necessários para saúde da mulher;

Encaminhamentos responsáveis;

Acesso a pré-natal de alto risco;

Acompanhamento puerperal especializado;

Ginecologia especializada;

Oncoginecologia;

Mastologia especializada;

Exames diagnósticos de imagem, caso adquira colposcópio e ultrassom;

Práticas integrativas de saúde (especificamente homeopatia e acupuntura);

Atendimento psicológico;

Atendimento aberto às vítimas de violência por assistente social e psicólogo;

Dermatologia especializada;

Endocrinologia especializada;

Nutrição especializada.