7/3/20 19:25
Atualizado em 9/3/20 às 10:18

Iniciadas obras para revitalizar o Setor Hospitalar Sul

Obra financiada por dois grupos empresariais faz parte do programa Adote Uma Praça, do GDF, e vai custar R$ 5,5 milhões

Várias secretarias e órgãos do GDF estão envolvidos na revitalização do SHS | Foto: Secretaria de Projetos Especiais / Divulgação

Começam nesta  semana as obras para revitalização do Setor Hospitalar Sul (SHS). Desde sábado (7), os tapumes estão sendo instalados no local. O projeto, que deve custar aproximadamente R$ 5,5 milhões, será executado e financiado pelo setor privado dentro do programa Adote Uma Praça, do Governo do Distrito Federal. Os adotantes são o Hospital Santa Lúcia e a Rede D’OR São Luiz, unidade Santa Luzia.

A revitalização vai englobar melhoria e construção de novas calçadas e estacionamentos; criação de área de alimentação, onde ficarão concentrados os quiosques legalizados; troca completa do sistema de iluminação pública por tecnologia de LED; ampliação do número de postes para efeito de segurança na região; melhorias na pavimentação e reestruturação de pontos livres para acesso aos transeuntes, paisagismo e sinalização.

“Este é um projeto que nasceu dentro do governo, mas o GDF não tem recursos para executá-lo, porque tem outras prioridades na saúde, na educação, na segurança pública”Everardo Gueiros, secretário de Projetos Especiais

“A população é quem vai sair ganhando com essa revitalização, porque as pessoas que vão ali para serem atendidas no Setor Hospitalar Sul, alguns já acometidos de uma doença, em uma situação difícil… Vão ter maior conforto, uma forma mais fácil, mais agradável e correta tanto de transitar quanto de, inclusive, estacionar seus automóveis”, garantiu o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros.

A Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) e a Administração do Plano Piloto coordenam, juntas, os trabalhos com todas as secretarias e órgãos envolvidos, além do setor privado. Para a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, essa é uma importante obra pública, por isso a gestão do território para que a revitalização transcorra sem muitos transtornos. “Todos os esforços estão sendo empreendidos. Há uma grande articulação pelos órgãos do governo para que essa obra seja feita no menor prazo possível e gerando o menor número de transtornos possíveis para a população”, afirmou.

Segundo o titular da Sepe, Everardo Gueiros, o GDF já havia sentido a necessidade de melhoria no Setor Hospitalar Sul, mas nenhum governo chegou a tomar a iniciativa. Então, com o programa Adote uma Praça, coordenado pela Sepe, foram dadas as condições para que o setor privado pudesse arcar com o projeto.

Revitalização do local é demanda antiga da comunidade hospitalar e dos próprios moradores das quadras próximas | Foto: Secretaria de Projetos Especiais / Divulgação

Parceria

Conforme o grupo Santa Lúcia e a Rede D’OR, a preocupação é com o cuidado e o bem-estar dos brasilienses. Por isso, há anos tentavam viabilizar a revitalização do SHS. Tudo para melhorar ainda mais o nível do serviço médico-hospitalar e a acessibilidade, principalmente a pessoas com necessidades especiais e idosos.

Os dois grupos empresarias vão financiar a execução total do projeto de revitalização, que foi desenvolvido por arquitetos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh). “Esse é um projeto que nasceu dentro do governo, mas o GDF não tem recursos para executá-lo, porque tem outras prioridades na saúde, na educação, na segurança pública. Então, a iniciativa privada entendeu e abraçou a obra – e, sem essa ajuda do setor, a revitalização não aconteceria”, ressaltou o secretário Everardo.

Várias secretarias e órgãos do GDF estão envolvidos na revitalização do SHS. Além da Sepe, da Seduh e da Administração do Plano Piloto, participam do projeto a Secretaria de Obras, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), a Companhia Energética de Brasília (CEB), o DF Legal, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e o Departamento de Trânsito (Detran-DF).

De acordo com o diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, o departamento vai dar o apoio necessário para o controle de tráfego nos locais onde será realizada a obra, de maneira a garantir a fluidez nas vias do Setor Hospitalar Sul, bem como vai reforçar a sinalização viária do local.

Também serão colocadas equipes de fiscalização em patrulhamento na região para garantir que não haja retenções acima do esperado. Com relação às mudanças no trânsito durante a realização das obras, o diretor do Detran informou ainda que o órgão fará ampla divulgação na imprensa, redes sociais e sites.

Bons resultados do Adote Uma Praça

O Adote Uma Praça do Setor Hospital Sul é a maior ação do programa em custo e duração de obra. A previsão é de que a revitalização esteja concluída até o final de julho deste ano. O custo totalmente financiando pelo setor privado.

Os números do Adote

» 44 solicitações feitas para adoção de locais públicos;

» 39 de pessoas jurídicas;

» 6 de pessoas físicas;

» 4 locais públicos já revitalizados;

» R$ 2 milhões gastos (dinheiro privado);

» Locais: Hospital de Brasília, Parque Infantil da Asa Sul (SQS 313), praça no Recanto das Emas, balão na Via L1 Norte;

» 18 estão em processo de revitalização/reforma;

» Regiões cujos locais estão em processo de revitalização/reforma por adotantes: Lago Sul, São Sebastião, Gama, Águas Claras, Jardim Botânico, Sudoeste, Riacho Fundo I, Plano Piloto, Sobradinho 2, Guará 1, Planaltina, Park Way;

» Entre as áreas que serão trabalhadas estão praças, parquinhos, estacionamentos, balão, entre outros.

 

* Com informações da Secretaria de Projetos Especiais