9/3/20 9:23
Atualizado em 9/3/20 às 9:25

Oferta de cursos de idiomas no Núcleo Bandeirante cresce 224%

O Centro Interescolar de Línguas (CIL) da cidade mudou de lugar e agora tem nova opção de idioma (francês). Aulas serão em três turnos – o que permitiu abrir mais 1,3 mil vagas

O Centro Interescolar de Línguas (CIL) do Núcleo Bandeirante tem 1,3 mil vagas a mais para quem quer aprender um novo idioma. A unidade, que só tinha aulas no período noturno, conseguiu ampliar a grade e abarcar os três turnos ao mudar de endereço. Para melhorar, além de inglês e espanhol, a novidade do ano é a inclusão da oferta de francês. As inovações são celebradas pela comunidade. 

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Até o ano passado, a unidade funcionava em espaço emprestado, mas ela foi transferida para o anexo da Escola Classe 3 do Núcleo Bandeirante, onde ficava a sede da Coordenação Regional de Ensino – que também está de mudança. A gestora Ana Maria Alves da Silva diz que o prédio foi adequado em dois meses, com verba do Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (Pdaf) da regional. 

Foram feitos serviços de pintura, iluminação, instalação de lousas e de ar condicionado. Carteiras novas também chegaram para as dez salas de aula. “A gente acompanha a felicidade dos pais que lutavam por vagas e não conseguiam por serem poucas e em apenas um turno”, conta a coordenadora da regional. 

Diretora do CIL desde janeiro de 2016, Sílvia Maria Taraleskof revela que as mudanças que permitiram ampliação atendem a uma demanda histórica. “A procura por funcionamento diurno, nos turnos matutino e vespertino, vem de muito tempo”, diz ela.

É uma grande conquista para a cidade que pleiteou por issoSílvia Maria Taraleskof, diretora do CIL

Se antes o atendimento à rede escolar precisava ser limitado a alunos do ensino médio a partir de 15 anos, agora desde o 6º ano os meninos e meninas podem aprender novo idioma. Além, é claro, de abrir mais espaço a comunidade que fica com vagas remanescentes. O número de cadeiras ofertadas passou de 580 para 1.880, um acréscimo de 224%.

Ensino de qualidade

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Aluno do Centro de Ensino Fundamental Metropolitana, Breno Gomes (foto) conseguiu voltar a estudar inglês. O jovem de 17 anos chegou a cursar o idioma na unidade do Guará do CIL, cerca de dez quilômetros distante, mas não conseguiu manter a rotina. “Era um pouco longe e eu cansava muito. É bom ter a possibilidade e oportunidade de retomar a formação na cidade”, celebra o rapaz. 

A artista plástica Márcia Pessoa de Resende, 66, aproveita a oportunidade de voltar a imergir na língua francesa. “No passado, eu havia feito Francês no CIL do Plano Piloto, mas tive que parar. Aqui, no Núcleo Bandeirante, não tinha oferta do idioma e eu pleiteava. Adorei quando soube da inclusão”, conta a aluna. 

“É um ensino gratuito e de muita qualidade. Sempre gostei do francês e o professor é espetacular. A aula não é só de idioma, mas de cultura”, observa a estudante. A inédita oferta do idioma foi a mais procurada no primeiro semestre deste ano. 

Os CILs
A rede pública do DF tem 17 centros interescolares de língua onde os estudantes podem aprender inglês, espanhol, francês e japonês no contraturno das aulas regulares. São quase 500 professores trabalhando na formação de quase 50 mil estudantes. 

Outras duas unidades são vinculadas à Coordenação Regional de Ensino do Núcleo Bandeirante. Os CILs do Riacho Fundo e do Riacho Fundo II funcionam no período noturno e ofertam inglês e espanhol. 

As inscrições são realizadas duas vezes por ano: no primeiro e no segundo semestre de cada ano e todo o processo é feito on-line. A prioridade é dos alunos da rede pública do DF, mas vagas remanescentes são abertas à comunidade.