11/3/20 15:57
Atualizado em 11/3/20 às 15:57

Estudantes são conscientizados sobre os males do Aedes aegypti

Foram mobilizados cerca de 38 mil alunos em 14 regionais de ensino. Grupo de fantoches mostrou os cuidados que as crianças precisam ter em casa

Trabalho integrado do Governo do Distrito Federal mobilizou, nesta quarta-feira (11), 14 regionais de ensino para conscientizar alunos de escolas públicas sobre a importância dos cuidados para acabar com o mosquito Aedes aegypti. A ação Dia D – A educação de mãos dadas contra a dengue contou com apresentação de teatro, caminhada, distribuição de material informativo etc.

O local escolhido para o começo de tudo foi o Centro de Ensino Médio 3, em Ceilândia –  onde estiveram reunidos representantes de todos os órgãos envolvidos, como as secretarias de Educação e Saúde, sob coordenação da Sala Distrital de Combate à Dengue.  

“O lema agora é saúde com o público e não somente para o público. Na rede de ensino temos 500 mil alunos e cada um deles levando a questão para sua casa vai nos ajudar muito”, destaca o subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero.

Ele frisa que o aluno de hoje é o cidadão de amanhã, que terá de lidar com isso mais diretamente. “Por isso, é importante envolvê-los, para que nos ajudem na inspeção e na conscientização das pessoas”, completa.

Ceilândia
Na escola de Ceilândia estavam presentes alunos de outras escolas da regional, com idade a partir de 10 anos. O tema já vinha sendo trabalhado em sala de aula, com palestras, vídeos e dinâmicas. Em uma delas, alunos do 5º ano pintaram cartazes, expostos pelas alunas Isabela Silveira e Sofya Santos, ambas de 10 anos.

 “Meu pai já teve dengue e não quero que ninguém da minha família tenha de novo. Por isso, não deixo água parada em casa e acho importante a gente ter ainda mais informação na escola”, disse Sofya. 

A amiga, Isabela, também não deixa a família descuidar. “No meu condomínio, três amigos meus já tiveram dengue e me falaram que é horrível. Então, não quero mais que ninguém tenha a doença”, disse.

No Dia D, foi feita a apresentação teatral com de fantoches para exemplificar os cuidados que as crianças precisam ter em casa. A interação com os pequenos mostrou que eles estão afinados no discurso quanto aos cuidados em casa e em todos os ambientes onde vivem.

O secretário de Educação, João Pedro Ferraz, disse que as crianças são parceiras contra o mosquito causador da dengue. “Viemos pedir ajuda porque sabemos que sozinhos não conseguiremos acabar com esse mosquito. A Secretaria de Saúde faz o combate e atende a quem já ficou doente. Então, vamos ajudar para que ninguém mais adoeça?”, disse ele, recebendo total apoio dos alunos.

Cerca de 38 mil alunos em 14 regionais de ensino participaram da atividade. Foram mobilizados 150 agentes de vigilância ambiental, 40 viaturas da vigilância, além de apoio do Corpo de Bombeiros, SLU, Caesb, coordenação regional de ensino e do Detran e da Polícia Militar para organização do trânsito durante a passeata.

“As ações de combate à dengue envolvem todos os órgãos e são coordenadas pela Saúde. A ação com a educação é uma das mais importantes porque envolve a comunidade como um todo. Hoje tivemos essa atividade e no dia 17, todas as escolas do DF vão trabalhar o tema em sala de aula. Além disso, ao longo do ano, teremos outras ações pontuais neste sentido”, frisou a coordenadora da Sala Distrital de Combate à Dengue, Meire Mota. 

Além de Ceilândia, Brazlândia, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Plano Piloto, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho e Taguatinga também tiveram atividades do Dia D.

* Com informações da Secretaria de Saúde-DF