12/3/20 14:32
Atualizado em 12/3/20 às 14:35

‘Março Lilás’, mês de conscientização sobre câncer de colo de útero

Saúde destaca a importância dos exames preventivos e da vacina contra o HPV

Foto: Divulgação / SES

Terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina, o câncer de colo de útero está no foco da campanha “Março Lilás”. O objetivo é conscientizar as mulheres sobre a importância de fazer o exame de prevenção, mais conhecido como papanicolau, e de se vacinar contra o vírus HPV.

A maioria dos casos de câncer de colo de útero é causada por esse vírus. Por isso, a melhor maneira de prevenir é a vacina, disponível na rede pública para meninas de 9 a 14 anos de idade e para meninos de 11 a 14 anos. A procura, porém, ainda é baixa. Entre 2013 e outubro do ano passado, 61,9% do público alvo feminino buscou a imunização.

Para quem já passou dessa idade e não tomou a vacina, o exame preventivo ajuda a identificar lesões precursoras. “Essas lesões não apresentam sintomas. Quando não são tratadas adequadamente, podem evoluir para o câncer invasor de colo uterino”, informa a responsável técnica distrital de ginecologia oncológica da Secretaria de Saúde (SES), Indara Braz.

O rastreamento pelo papanicolau deve ser feito pelas mulheres entre 25 e 64 anos de idade que já iniciaram a vida sexual. A recomendação é que esse procedimento seja realizado a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos normais.

Atenção primária

 O rastreamento, na rede pública, é feito pela atenção primária. No caso de ser encontrada uma lesão precursora, a mulher deve procurar o ambulatório de colposcopia, para avaliação. “Sendo encontrado um câncer invasor, a paciente é encaminhada para o ambulatório de ginecologia oncológica, para avaliação de qual tratamento será indicado”, explica Indara Braz.

Atualmente, todas as sete regiões de saúde contam com ambulatório de colposcopia. Já a ginecologia oncológica oferece atendimento nos hospitais de Base, da Asa Norte, de Ceilândia e do Gama. Porém, a fila é única e regulada para pacientes de todo o Distrito Federal.

Casos no DF

O Instituto Nacional do Câncer estima que, neste ano, serão registrados 260 novos casos de câncer de colo de útero no Distrito Federal. Desses, 80% são mulheres que se tratam na rede pública de saúde.

Programação

Além da campanha institucional de conscientização, a SES prepara a entrega do primeiro Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu), também chamado de Clínica da Mulher. No local serão atendidas mulheres acima de 18 anos, que terão acesso a pré-natal de alto risco, oncoginecologia, exames diagnósticos de imagem e consulta psicológica, entre outros serviços.

As unidades básicas de saúde (UBSs) também elaboraram programações para o Março Lilás. A primeira a promover um evento foi a UBS 2 do Cruzeiro. Mulheres foram acolhidas e orientadas a procurar as equipes de saúde para exames preventivos e detecção precoce do câncer de colo de útero. Também houve atividades como dança sênior, automassagem, meditação, música ao vivo e sorteios de brindes.

Nos dias 25 e 26 deste mês, a UBS 2 de Ceilândia promoverá palestras sobre alimentação saudável, violência contra a mulher, cuidados com o corpo e prevenção de infecções sexualmente transmissíveis. Também haverá coleta de exames preventivos.

* Com informações da SES