8/4/20 19:31
Atualizado em 8/4/20 às 21:33

Portaria regulamenta o Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher

Parceria entre órgãos públicos e iniciativa privada também reunirá o TJDFT, o MPDFT, o Conselho Tutelar e a Unieuro

Espaços mais humanizados visam prestar atendimento mais eficaz às mulheres em momentos mais difíceis | Foto: PCDF / Divulgação

(Matéria atualizada às 21:30 do dia 8) A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) anuncia a instalação do Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher (Nuiam), instituído por meio da Portaria 35, de 03 de abril de 2020. Trata-se de mais uma iniciativa da instituição para enfrentar a violência contra a mulher.

Trata-se de uma parceria com outras instituições governamentais, além de grupos da iniciativa privada e da sociedade civil organizada. Os núcleos visam prestar um atendimento mais humanizado e eficiente para amparar de forma mais adequada as vítimas e proporcionar-lhes condições para interromper o ciclo de violência.

A primeira delegacia do DF a receber o Nuiam foi a 29a DP (Riacho Fundo), onde foi criado um espaço exclusivo para acolher as mulheres vítimas de violência.

Na 29a DP, além de efetuarem registro da ocorrência, elas recebem acolhimento psicológico e assistência jurídica e social, por meio de parcerias estabelecidas com Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (TJDFT), com as Promotorias de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher (MPDFT), com o Conselho Tutelar e com a Unieuro.

Combate à violência contra a mulher é uma das prioridades da SSP-DF | Foto: PCDF / Divulgação

“O combate à violência contra a mulher tem sido uma das prioridades da nossa gestão”, reitera o secretário de Segurança Pública , Anderson Gustavo Torres, que menciona algumas ações da pasta.

“E ele tem se dado de diversas formas: aprimoramos nossas investigações, montamos minucioso banco de dados por meio de uma câmara técnica dedicada ao tema e, evidentemente, temos buscado aprimorar a qualidade do atendimento àquelas mulheres que forem vítimas dessa covardia, como é o caso dos Núcleos Integrados de Atendimento à Mulher”, acrescentou.

“A intenção é realizar uma busca ativa dos casos de violência contra a mulher e recebê-la de forma diferenciada, em um ambiente separado da delegacia. Tudo para evitar que ela seja revitimizada  e dar forças para que ela supere a situação”, reforça o diretor-geral da PCDF, Robson Cândido da Silva.

 

* Com informações da Polícia Civil do Distrito Federal