10/4/20 15:07
Atualizado em 10/4/20 às 15:31

Quase cinco mil imóveis vistoriados em um único dia

Ação contra a dengue ocorreu quinta-feira (8) em dez regiões administrativas

| Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

Todos os dias é possível ver um agente da Vigilância Ambiental nas ruas em combate à dengue. Uma vez por semana esse exército de servidores recebe o apoio de diversas áreas do GDF e, juntos, formam uma força-tarefa para eliminar o mosquito Aedes aegypti.

Nesta quinta-feira (8), as vistorias foram reforçadas em Planaltina, Fercal, Granja do Torto, Vila Planalto, Águas Claras, Areal, Estrutural, Brazlândia, Sobradinho I e II. No total, 4.682 imóveis foram vistoriados nessas dez regiões administrativas. Um trabalho que contou com a parceria de órgãos que compõem a Sala Distrital de Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes, como o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF), o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), a Secretaria das Cidades, as administrações regionais e diversos outros parceiros.

Na ação, agentes da Vigilância Ambiental e militares do Corpo de Bombeiros vistoriaram imóveis e orientaram os moradores. “Durante esse período de isolamento social, em que as pessoas estão mais em casa, a gente aproveita para reforçar a importância dos moradores tirarem pelo menos dez minutos da semana para vistoriarem, dentro da residência e nos quintais, para verificar se realmente não existe nenhum depósito que possa acumular água”, explicou o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

Em 360 imóveis inspecionados foi necessário fazer o tratamento com uso de larvicida. A medida é necessária para evitar o surgimento do mosquito em alguns depósitos, que podem servir para a proliferação do mosquito.

A força-tarefa é feita sempre aos sábados, mas, devido ao feriado, a ação desta semana foi antecipada. As cidades contempladas são aquelas que apresentam mais incidência de dengue.

“Nossas ações de combate continuam sendo intensificadas. Além da inspeção feita de casa em casa, verificando potenciais criadouros e fazendo a sua devida remoção, também é realizada a limpeza urbana próxima aos domicílios pelo SLU, o que nos ajuda a eliminar esses possíveis depósitos. A maioria dos criadouros continua sendo encontrada nos quintais das residências”, disse o subsecretário de Vigilância à Saúde, Eduardo Hage.

Dados

O mais recente boletim da dengue aponta que o DF registrou 16.230 casos prováveis da doença até 28 de março. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 100,21%, quando foram contabilizados 8.100 casos. Uma das explicações para o crescimento é o tipo de vírus que tem circulado no DF.

| Foto: Breno Esaki / Agência Brasília

“No ano passado havia maior circulação do sorotipo 2 da dengue, que causa maior letalidade. Neste ano, a predominância apresentada é do sorotipo 1, que acomete mais pessoas e causa menos mortes”, explica o subsecretário. O DF registrou oito óbitos por dengue neste ano, contra 12 no mesmo período do ano passado.

Reforço

Devido ao decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha, houve a necessidade de contratação de agentes de saúde, por meio de processo seletivo. A Vigilância Ambiental recebeu o reforço de mais 335 profissionais.

Eles passaram por treinamento teórico e prático. Outros 265 agentes contratados iniciarão o treinamento e, em breve, estarão nas ruas.

As ações promovidas pela Sala Distrital de Combate à Dengue incluem ainda a utilização de drones para verificação de terrenos com edificações fechadas ou abandonadas e, também, de helicópteros. Além da retirada de carros abandonados pelas ruas de todo o Distrito Federal. O carro do fumacê transita nas regiões administrativas todos os dias, durante a madrugada (das 5h30 às 9h30) e no final do dia (das 17h30 às 21h30).

 

* Com informações da Secretaria de Saúde