12/4/20 9:30
Atualizado em 13/4/20 às 15:41

Grupo tripartite para planejar plantio de ipês nas áreas urbana e rural

Governo quer título de Brasília como capital dos ipês; Novacap, Ibram e Emater-DF compõem grupo de trabalho

| Foto: Arquivo Agência Brasília

O governo do Distrito Federal formou um grupo de trabalho com representantes da Novacap, da Emater-DF e do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) para organizar, estruturar e implementar ações de arborização nas áreas urbanas, rurais e de conservação ambiental. O objetivo é fazer com que o Distrito Federal seja reconhecido pelo título de “Brasília Capital dos Ipês”.

Até 2022, a meta é ter 1 milhão dessas árvores plantadas em todas as regiões da capital. A árvore é típica do cerrado e as espécies mais comuns são as de flores amarelas, rosas e brancas e verdes, que é considerada rara. Todas as mudas usadas na arborização do DF são cultivadas nos viveiros da Novacap.

De acordo com a portaria que criou o grupo de trabalho, cada órgão cuidará das ações referentes aos seus espaços – a Novacap terá como foco as ações na área urbana, a Emater, no espaço rural, e o Ibram, nas unidades de conservação. O grupo de trabalho tem 180 dias de prazo de funcionamento, que pode ser prorrogado por igual período.

Dois servidores de cada órgão foram cedidos para compor o grupo de trabalho. Pela Novacap foram designados Raimundo Gomes Cordeiro (titular) e Janaína Lima Martins Gonzales (suplente); pela Emater, Loiselene Carvalho da Trindade Rocha (titular) e Rogério Lúcio Vianna Júnior, e pelo Ibram, Gabriela Albuquerque Marmo de Oliveira (titular) e Gustavo Nogueira Lemos (suplente).

Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

“Estamos desenvolvendo um projeto com estudos científicos para estabelecer o plano de arborização na área rural”, afirma Loiselene Trindade, engenheira-agrônoma e coordenadora do projeto pela Emater-DF.

Ela explica que outras espécies de árvores também devem ser plantadas. “A diversidade de espécies é importante, e, dentro disso, vamos aumentar o número de ipês. Por isso é importante esse grupo de trabalho estabelecer diretrizes, programas e políticas de arborização”, explica a coordenadora.

Segundo a representante do Brasília Ambiental, esta ação ambienta é sempre uma ótima oportunidade de preservar este símbolo do Cerrado. “No caso do instituo, as mudas serão plantadas nos parques ecológicos e nas unidades de conservação como forma também embelezar os espaços”, completou Gabriela Alburque.

O grupo de trabalho começa agora a planejar os plantios que vão ter início no final do ano, com a chegada do período de chuvas, que é a melhor época para o plantio.

Arborização acelerada

O plantio de mudas de ipê em vias do Distrito Federal vem ocorrendo já há algum tempo. De janeiro a março, a Novacap plantou mais de 30 mil mudas da árvore em diversas regiões administrativas do DF (veja quadro abaixo).

Desde fevereiro, a Estrada Parque Taguatinga (EPTG), recebeu o plantio de 2,5 mil mudas da árvore, de espécies de várias cores. Por conta disso, a estrada ganhou o apelido de “IPÊTG”. A previsão é que as árvores levem de dois a três anos para florescer.

A Avenida do Joquéi, recém-recapeada e com sinalização renovada, também ganhou mil mudas ao longo de toda sua extensão. A Novacap também plantou 3 mil mudas da árvore no Eixo Monumental.

A partir de outubro serão plantados mais 120 mil árvores da espécie. O objetivo é que até o final do ano sejam plantadas 150 mil árvores em todo o Distrito Federal.

 

* Com informações da Emater-DF