15/4/20 14:44
Atualizado em 15/4/20 às 14:54

Administração de Taguatinga esvazia fontes de água da cidade

Órgão também recolhe entulhos diariamente, como forma de reduzir a propagação do Aedes. População pode solicitar o serviço por ligação, desde que não se trate de restos de obras particulares 

Foram retirados cerca de 550 litros de água das fontes. Ação faz parte de um conjunto de medidas adotadas para combater a dengue | Foto: Divulgação / Administração de Taguatinga

A Administração Regional de Taguatinga esvaziou, nesta quarta-feira (15), as fontes de água do Taguaparque e do centro da cidade. A ação tem o objetivo de diminuir a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Segundo o administrador da região, Geraldo César de Araújo, Taguatinga registrou um pequeno crescimento de pessoas com a doença.

“Mesmo nesse período de isolamento social por causa do coronavírus, a administração continua trabalhando intensamente para eliminar possíveis focos do Aedes aegypti”, informa o administrador. “No caso da fonte do Taguaparque, o local está fechado, então nesse momento decidimos desativá-la. A previsão é que o espaço volte a funcionar no final de maio.”

Acúmulo de água

A mesma medida foi tomada nas duas fontes no centro de Taguatinga, próximas à Praça do Relógio. De acordo com o administrador, os locais não estavam funcionando por falta de peças, que foram roubadas. “Com a chuva, a água acabava acumulando ali. Tiramos cerca de 550 litros de água das fontes, reduzindo a chance de reprodução do mosquito”, explica.

A treinadora Grazielle Monteiro, 39 anos, costumava praticar atividades físicas no maior parque de Taguatinga e notava que, muitas vezes, esses locais estavam sendo utilizados como depósito de lixo. “Como a limpeza e conscientização da população são mínimas, a melhor opção para minimizar, no momento, seria esvaziá-las, uma vez que não só as fontes, mas muitos outros espaços servem de criadouro para o mosquito da dengue”, analisa.

População pode ajudar

Ohana Rodrigues, 22 anos, acredita que, mesmo com as atenções voltadas para o enfrentamento do novo coronavírus, é importante o governo continuar a investir no combate à proliferação do Aedes aegypti. “A população também deve se conscientizar e redobrar os cuidados para eliminar possíveis criadouros do mosquito, aproveitando o tempo em isolamento em suas casas para tomar os devidos cuidados e higienizar os possíveis locais de proliferação”, aconselha a estudante de direito.

“A população também deve se conscientizar e redobrar os cuidados para eliminar possíveis criadouros do mosquito” Ohana Rodrigues, moradora

Moradora da cidade, Gercilene Cosme, 49 anos, concorda que as fontes espalhadas pela cidade embelezam os locais onde estão instaladas, mas também valoriza a ação da Administração Regional de Taguatinga como importante no combate à dengue. “Em primeiro lugar, é preciso pensar na saúde da população”, comenta.

Recolhimento de entulho

 Manter a cidade limpa também faz parte das ações da administração na luta contra o as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Nesta quarta, o órgão recolheu 12 toneladas de entulho perto de uma parada de ônibus em frente ao estádio Elmo Serejo Farias. Foram quatro caminhões para retirar o lixo. A equipe do órgão aproveitou para lavar o local.

O recolhimento faz parte do programa Cata Cata, da própria administração. Os funcionários percorrem locais da cidade às terças e quintas-feiras, das 8h às 18h, para fazer a limpeza desses espaços. A população pode solicitar o serviço pelos números 162 ou (61) 3451-2521. Além desses canais, os moradores também podem acionar os profissionais nas ruas e fazer a solicitação.

O trabalho não vale, porém, para restos de obras. Nesse caso, cabe a quem está com a casa ou o estabelecimento em reforma levar esse tipo de entulho, por conta própria, ao Papa Entulho de Taguatinga, localizado na QNG 47, Área Especial nº 09.