21/4/20 14:31
Atualizado em 21/4/20 às 14:31

Portaria cria comitê científico para enfrentamento da Covid-19

Objetivo é propor e conduzir estratégias com base em tecnologias digitais e infraestrutura de suporte às unidades de saúde

Foi publicada, no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (20), a portaria que cria o Comitê Científico Operacional de Estratégias de Enfrentamento à Covid-19. O objetivo é propor e conduzir estratégias de integração para ações de atenção e de vigilância à saúde no enfrentamento à doença, com base em tecnologias digitais e infraestrutura de suporte às pessoas e aos estabelecimentos de saúde.

O grupo é composto pelo subsecretário de Atenção à Saúde, Luciano Agrizzi, que coordena o comitê; o diretor do Laboratório Central (Lacen), Jorge Antônio Chamon; o subsecretário de Vigilância à Saúde, Eduardo Hage; a subsecretária de Planejamento em Saúde, Christiane Braga, e o chefe da assessoria de Gestão Estratégica e Projetos, Carlos Spezia.

A Secretaria de Saúde (SES)  atuará em parceria com o Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Universidade de Brasília (UnB), que também fazem parte do comitê.

Ações compartilhadas

“Este comitê foi instituído para traçar estratégias de forma científica e compartilhada com instituições de renome no âmbito acadêmico”, explica Luciano Agrizzi. “É uma força-tarefa com vários setores da saúde com expertise em ações integradas e combate a endemias.”

Ele destaca que a ideia é coordenar as ações de forma técnico-científica e traçar as melhores estratégias para o fortalecimento da saúde em todos os níveis de atenção. “[O objetivo] é promover as melhores ações, de forma célere e adequada para enfrentar a Covid-19 e ajudar a população nessa conjuntura. É visualizar o cenário e se antecipar”, conclui.

Entre as competências do comitê previstas na portaria, estão coordenar as ações de apoio científico para o estabelecimento das estratégias no âmbito da SES e do Iges-DF; supervisionar as infraestruturas de integração e o uso de informações e inteligência epidemiológica no enfrentamento da Covid-19 e orientar a alocação de suporte técnico e material às unidades de saúde.

* Com informações da SES