23/4/20 18:18
Atualizado em 24/4/20 às 11:33

Santa Maria intensifica operação tapa-buracos

Em abril, mais de 76 mil toneladas de massa asfáltica foram utilizadas em várias quadras da região

“Buraco sempre vai aparecer, o importante é resolver”, diz o líder comunitário Dilson Sampaio, um dos primeiros moradores de Santa Maria, com elogios à ação | Foto: Divulgação

Abril já soma 76.567 toneladas de massa asfáltica utilizadas na operação para tapar buracos que foi intensificada neste mês em Santa Maria. Quadras com problemas mais graves e mais demandas da população foram identificadas e vistoriadas. E, agora, recebem resposta rápida, com ação emergencial na região.

Um dos primeiros moradores da cidade, o líder comunitário Dilson Sampaio, de 67 anos, conta que danos no asfalto são problemas recorrentes na região. “Sempre buscamos a administração, e dá certo. Aqui na rua tínhamos alguns buracos que incomodava – o fundo do carro batia. E, agora, foi resolvido”, conta o homem, que vive no Conjunto J da Quadra 201. “Buraco sempre vai aparecer, o importante é resolver”, acrescenta.

Administradora de Santa Maria, Marileide Romão relata que foram feitas vistorias técnicas e identificadas as localizações que mais precisavam receber a ação emergencial após o período mais crítico de chuvas. “Essa é uma demanda recorrente na cidade. Pedidos chegam via Ouvidoria [pelo telefone 162], por mensagens e até quando estamos na rua. Temos um bom relacionamento com a população, o que ajuda bastante”, diz a gestora.

Além da administração local, Novacap e Funap-DF integram o trabalho | Foto: Divulgação

Entre os pontos que recebem os trabalhos estão as quadras QC 01, 117, 118, 201, 202, 206, 207, 210, 303, 304, 316 e 317, além da Avenida Santa Maria. As manutenções asfálticas são realizadas por empresa contratada pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), com equipe técnica da administração regional e com trabalhadores da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso do Distrito Federal (Funap-DF), vinculada à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus).

“A cidade é atendida diariamente. Em alguns pontos, além dos transtornos mecânicos dos carros, ainda há a questão do acúmulo de água nos buracos, que podem se tornar foco de dengue. Estamos empenhados e temos conseguido dar uma resposta rápida à comunidade, que tem retorno em ações do governo”, enfatiza Marileide Romão.