6/5/20 18:20
Atualizado em 18/5/20 às 15:05

Brasília Ambiental cede espaço para ‘fábrica de máscaras’

Lugar tem 430 metros quadrados, ventilado e muita qualidade ambiental

Movimento Comunitário dos Moradores do Jardim Botânico coordena as atividades no CPS | Foto: Brasília Ambiental / Divulgação

O salão de eventos do Centro de Práticas Sustentáveis (CPS) do Instituto Brasília Ambiental será transformado, nesta quinta-feira (7), em uma fábrica social. O objetivo é a produção de máscaras protetivas faciais e outros equipamentos de proteção individual (EPIs) a serem destinados à proteção contra o coronavírus. A abertura da fábrica social será às 16h30, de forma totalmente virtual (endereço digital: https://www.facebook.com/MovimentoJB).

A iniciativa, da qual o Instituto Brasília Ambiental é parceiro, conta com recursos do Operador Nacional de Sistema (ONS), com apoio das administrações regionais do Jardim Botânico e de São Sebastião. A coordenação é do Movimento Comunitário dos Moradores do Jardim Botânico (MCJB).

Localizado no Jardim Mangueiral, o espaço do CPS, disponibilizado pelo Brasília Ambiental, tem 430 metros quadrados, com espaço ventilado e muita qualidade ambiental. Fatores que foram decisivos na escolha para a implantação do projeto “fábrica de máscaras”.

De acordo com a analista de Atividades de Meio Ambiente do instituto, Bárbara Costa, esta cessão do salão vai exatamente ao encontro dos propósitos de uso compartilhado do local. “É uma estrutura totalmente sustentável, que beneficia a saúde das pessoas e objetiva o bem-estar da comunidade”, enfatiza Bárbara.

Local arejado e amplo garantem qualidade ambiental para o trabalho de confecção das máscaras | Foto: Brasília Ambiental / Divulgação

Toda a organização do maquinário necessário para a produção dos EPIs obedece ao protocolo de segurança adotado pelo GDF no processo de enfrentamento à pandemia. Ao todo, dez costureiras trabalharão lado a lado, mas a cerca de dois metros de distância uma da outra. Além disso, todas utilizarão máscaras pessoais e álcool em gel.

Encomendas

De acordo com o diretor-executivo do MCJB, Ilton de Queiroz Júnior, a fábrica já tem como demanda 120 mil máscaras, material destinado ao projeto de doação a pessoas carentes. Os membros da comunidade compram e doam os equipamentos. Existe também a demanda de 3 mil máscaras para a Organização das Nações Unidas (ONU), que serão doadas aos moradores de rua, além da encomenda de até 30 ml máscaras pelo GDF.

Ilton Júnior menciona também o projeto “Drive Thru das Máscaras”, que é a entrega dos produtos, a preço de custo, para pessoas inscritas para vacinação na sede do CPS. O centro já hospedou a campanha de vacinação nas suas primeiras etapas e deve hospedá-la nas próximas. “A ideia é que a pessoa receba a vacina e a máscara dentro do carro”, explica.

O CPS é um espaço para uso da comunidade na realização de projetos sociais. A solicitação pode ser feita com o preenchimento de formulário a ser acessado no endereço http://www.ibram.df.gov.br/centro-de-praticas-sustentaveis/.

* Texto atualizado às 9h16 de 8 de maio de 2020

* Com informações do Brasília Ambiental