19/5/20 9:07
Atualizado em 19/5/20 às 9:07

Unidades do Cras ganham novos números para atendimento

Linhas foram reorganizadas para melhorar o atendimento ao cidadão, principalmente durante o período de pandemia

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) tem novos números para atendimento aos cidadãos nas unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras). As linhas chegam para garantir o teleatendimento durante o período em que as unidades estão fechadas por conta da pandemia do novo coronavírus.

Após levantamento da secretaria, foi identificado que muitos telefones estavam desatualizados ou apresentavam defeitos na operacionalização. “As ações têm como objetivo tranquilizar a população e, assim, manter a rede socioassistencial ativa em todo o Distrito Federal, com um atendimento mais fácil e ágil” explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

Integram os serviços disponíveis pelo teleatendimento solicitações de cesta emergencial, auxílio por morte, informações e questões urgentes que envolvem violações de direitos. Outros serviços podem compor essa lista posteriormente. Devido à grande demanda, as linhas eventualmente podem ficar congestionadas.

Atendimento regulamentado

 Com o objetivo de reduzir a possibilidade de contaminação de servidores e do público assistido, a Sedes estabeleceu, nesta semana, as diretrizes para o atendimento remoto nas unidades de assistência social no Distrito Federal. A norma rege s ações do programa Criança Feliz, os atendimentos das unidades nas regiões e demais serviços da pasta.

Com base no que foi estabelecido pelo Ministério da Cidadania, o foco é assegurar a continuidade no acolhimento às famílias e aos indivíduos no âmbito das unidades socioassistenciais diante do contexto de propagação da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Durante esse período, a atuação contempla três modalidades de oferta: recepção e acolhida inicial remota, atendimento particularizado remoto e atendimento presencial em caráter excepcional.

Modalidades

No primeiro caso se enquadram solicitações que podem ser feitas por telefone, como pedido de cesta emergencial, orientação sobre serviços e benefícios e a respeito da rede de proteção ao indivíduo. Ainda é possível pedir avaliação para posterior concessão de benefícios e serviços.

A segunda modalidade abrange o atendimento realizado pelo especialista em assistência social, destinado a intervenções que não puderam ser sanadas na recepção da demanda, encaminhamentos recebidos da rede, busca ativa e casos referenciados. O atendimento é referente a segurança de renda, segurança alimentar, registro, orientações e encaminhamentos sobre possíveis incidências de violência, bem como orientações sobre acesso a direitos.

São exemplos de situações para intervenção emergencial risco à vida por situação de abandono, negligência, isolamento ou violência e violência sexual ou física contra mulheres, crianças, adolescentes, pessoas idosas ou com deficiência ocorrida nos últimos dias, ou em decorrência do estado de isolamento social.

Já o atendimento presencial em caráter excepcional compreende a solicitação presencial de vaga de acolhimento por pessoa desabrigada ou em situação de rua, além das entregas de autorização de saque para benefícios eventuais e bolsas sociais e atendimento de pessoas que buscarem a unidade e não possuírem nenhuma forma possível de acesso à tecnologia de atuação remoto, entre outras especificidades.

O atendimento presencial prescinde do uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), tanto para o servidor quanto para o usuário. Quando usuários buscarem diretamente a unidade para atendimento, deverão ser informados sobre os procedimentos a serem adotados para terem acesso ao serviço. Essas informações deverão ser fornecidas por servidores. Também deverão ser afixados cartazes, com linguagem acessível, nas portas das unidades, com os telefones disponibilizados para o atendimento e seu horário de atuação.

Confira, abaixo, as novas linhas de atendimento da Sedes.

CRAS/E-MAILTELEFONE FIXO
BRASÍLIA

 

3245-1822

3346-6769

 

BRAZLÂNDIA VEREDAS

 

3391-1057

3391-5626

 

CANDANGOLÂNDIA

 

3301-3317

3301-7735

 

 

CEILÂNDIA NORTE

 

3274-3104

3379-2220

 

CEILÂNDIA P SUL

 

3376-7318

3376-2414

 

 

CEILÂNDIA SUL

 

3373-7961

3372-9841

 

 

ESTRUTURAL

 

3465-7558

3465-7556

 

FERCAL

 

3485-3824

3483-2588

 

GAMA

 

 

3384-4810

3384-8765

 

 

GUARÁ

 

3568-4059

3383-2405

 

ITAPOÃ

 

3467-6001

3369-1516

 

 

NÚCLEO BANDEIRANTE

 

3386-2514

3552-3421

 

 

PARANOÁ

 

3369-7903

3369-5262

 

PLANALTINA

 

3389-0437

3389-1664

 

PLANALTINA ARAPOANGA

 

 

3488-7141

3489-0754

 

RECANTO DAS EMAS

 

 

3434-5788

3332-1482

 

RIACHO FUNDO I

 

3399-3880

3399-3243

RIACHO FUNDO II

 

3333-5223
 

SAMAMBAIA SUL

 

3358-7078

3357-3406

 

SAMAMBAIA EXPANSÃO

 

 

98303-7659

99450-9813/

 

 

SANTA MARIA

 

 

3394-1757

3394-5111

 

 

SÃO SEBASTIÃO

 

3339-4028

3339-1512

 

SOBRADINHO

 

 

3487-1780

3487-5463

 

SOBRADINHO II

 

 

3485-7198

3485-6621

 

TAGUATINGA

 

3354-7929

3354-4419

 

 

TAGUATINGA AREAL

 

 

3356 – 3796

 

VARJÃO

 

 

3468-1862

3468-8090

  
  

 

* Com informações da Sedes