26/5/20 12:35
Atualizado em 26/5/20 às 12:35

Sejus lança cartilha de prevenção contra acidentes domésticos

Direcionada a crianças e adolescentes, publicação reforça dicas de segurança para o período de pandemia

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, as famílias têm lidado mais com a presença de crianças e adolescentes em casa, o que contribui para o aumento do risco e incidência de acidentes domésticos. Diante desse cenário, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) lança uma cartilha com dicas de prevenção.

A publicação foi produzida em parceria com a Sociedade Brasileira de Queimaduras e a ONG Criança Segura Safe Kids Brasil. Traz ilustrações da Turma do Sejuquinha, mascote da Sejus utilizado em alertas ao público infantojuvenil sobre ações de cuidados e cidadania.

“Precisamos que as informações corretas cheguem às famílias, para que haja uma mudança de comportamento em que o centro das atenções seja a proteção integral da criança e adolescente”, destaca a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

“Precisamos que as informações corretas cheguem às famílias, para que haja uma mudança de comportamento em que o centro das atenções seja a proteção integral da criança e adolescente”Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

Parceria oportuna

O documento traz informações sobre os locais onde ocorrem acidentes, além de dicas para lidar com a situação de maneira preventiva – como o uso de máscaras por crianças acima de dois anos quando for preciso sair de casa. É um material que aposta na conscientização e divulga os contatos do poder público a serem acionados em casos de emergência, como o Samu (192) e Corpo de Bombeiros (193).

A cartilha representa a primeira ação conjunta entre a Sejus, a Sociedade Brasileira de Queimaduras e a ONG Criança Segura Safe Kids Brasil – entidade presente em mais de 30 países e responsável pela redução nas mortes por acidentes na faixa etária de zero a 14 anos. A parceria é importante num momento em que a pandemia do novo coronavírus colocou meninos e meninas em isolamento social, ou seja, por mais tempo dentro de casa, onde ocorrem cerca de 40% dos acidentes.

Cuidados redobrados

A orientação é proteger duplamente as crianças e adolescentes, lidando ao mesmo tempo com a pandemia da Covid-19 e a possibilidades de acidentes domésticos – circunstâncias em que uma situação pode acentuar a ocorrência da outra.

Um exemplo desse risco aumentado é o uso mais frequente do álcool 70%, em todas as suas formas, como meio de prevenção contra o coronavírus. Porém, outros problemas ainda cercam as crianças, como sufocamentos, quedas, intoxicação, choques e afogamentos.

Segundo pesquisas do DataSUS, do Ministério da Saúde, acidentes ou lesões não intencionais são responsáveis, em média, pela internação de mais de 111 mil crianças no Brasil, levando 3,6 mil a óbito todos os anos. O cenário merece atenção, uma vez que grande parte dos acidentes ocorre no ambiente doméstico.

 

* Com informações da Sejus