28/5/20 11:21
Atualizado em 28/5/20 às 12:06

Brasília Ambiental, 13 anos: as realizações e os desafios

Números no setor de licenciamento constatam que, apesar crise do coronavírus, o desempenho do órgão melhorou. Em abril, os dados desta área superaram em 22% os do ano passado 

Ao entrar na “adolescência”, com apenas 13 anos, o Instituto Brasília Ambiental mobiliza servidores e gestores para uma questão: quais realizações a comemorar, desafios a vencer? Há um sentimento comum: mesmo em meio a uma pandemia, conseguiu manter o ritmo de trabalho e cumpre bem sua missão junto à sociedade, que é de executar as políticas públicas de meio ambiente e de recursos hídricos do Distrito Federal.

Na presidência interina do órgão há mais de 60 dias, Cláudio Trinchão, que acumula o cargo de secretário-geral, deixa claro os motivos para comemorações: apoio do governo para dar continuidade a tudo que estava sendo feito.”Não perdemos o ritmo em nenhum momento; até aceleramos e superamos metas”.

Os números no setor de licenciamento constatam isso, apesar da situação atípica provocada pelo coronavírus. O desempenho do mês de abril deste ano da área superou em 22% o do ano passado. 

E no acumulado dos quatro primeiros meses do ano, o número de licenças e autorizações expedidas em 2020 é 23% maior que de 2019.

Já na área de fiscalização, além de atender a emergências, 28 auditores fiscais foram às ruas este mês para ajudar na conscientização da população sobre o uso das máscaras faciais protetivas contra o vírus.

Foto: Brasília Ambiental/Arquivo

O órgão mantém também, por meio de parcerias com as comunidades locais e outros órgãos do GDF, a implantação dos parques. Exemplo é o Parque Ecológico do Tororó, localizado no Jardim Botânico, que está em preparação para ser totalmente implantado em junho, quando completa 15 anos.

Outra realização inovadora é a criação da Diretoria de Prevenção de Combate aos Incêndios Florestais. Esta ação se soma à elaboração do edital para a contratação de brigadistas florestais e ao trabalho da Educação Ambiental, que criou a Cartilha do Fogo e o projeto Observadores de Fumaça. 

Isso revela que o Instituto atua, planejadamente, antecipando-se aos desafios futuros – como os incêndios consequentes da seca que se aproxima.

Cláudio Trinchão ressalta esta gestão trabalha focada no planejamento estratégico, com a definição de indicadores, metas e objetivos para que, em 2022, tenhamos alcançados bons resultados.

Entre as ações que estão em andamento, o gestor destaca as discussões da Política Geral de Atendimentos da Instituição, Política de Recursos Humanos, Metodologia de Gestão da Carteira de Autos de Infração, e também de gestão de créditos oriundos das compensações ambiental e florestal. “Muito coisa está em curso. São muitos desafios. Acredito que daqui há dois meses teremos excelentes novidades”, comemora.

Na área de Comunicação também, mesmo em teletrabalho, houve avanços. Foi lançado o produto Minuto Ambiental, que leva às redes sociais, por meio de vídeo, informações semanais sobre o órgão. E todas as mídias sociais do órgão tiveram incremento em postagens e seguidores. E em breve será lançado o Podcast Papo Ambiente, com o objetivo de informar a população como funciona a autarquia e assuntos relativos ao meio ambiente. 

Representações
O presidente da Associação de Auditores Fiscais de Controle Ambiental (Aficam), David Lago Ferreira, reforça que o Brasília Ambiental é um ambiente de trabalho com desafios diários, e acrescenta que isso permite a cada servidor crescer como pessoa e como profissional.

Para David, cada conquista acontece devido à excelência dos servidores e colaboradores do órgão. “Percebemos um esforço para a melhor entrega da gestão das Unidades de Conservação, biodiversidade, licenciamento, monitoramento, auditoria e fiscalização ambiental”, destaca.

O presidente da Associação de Servidores do órgão (Asibram), Alisson Santos Neves, também endossa o enfrentamento de desafios pelo órgão e a participação dos servidores. “A Asibram celebra a trajetória de grandes desafios, que promoveram o amadurecimento institucional e do seu quadro de servidores”.

* Com informações do Brasília Ambiental