3/6/20 15:20
Atualizado em 3/6/20 às 15:22

Hran dobra capacidade de tomografias diárias

Com o novo aparelho, serão entre 80 e 100 exames a mais, diariamente

O Hospital Regional da Asa Norte (Hran) vai dobrar a capacidade de realização de tomografias computadorizadas, graças ao novo tomógrafo da unidade, que foi inaugurado nesta quarta-feira (3). O secretário de Saúde, Francisco Araújo, ressaltou a importância que o Hran possui na história do Distrito Federal e o respeito e a admiração que inspiram os profissionais que trabalham no local.

“Este é um hospital que sempre atende as necessidades e demanda da população. Por isso, queremos criar condições para valorizar o trabalho de todos, com um sistema de saúde mais rápido, eficaz e resolutivo. Nesta pandemia, o tomógrafo será de extrema importância para os pacientes com Covid-19”, afirma o secretário.

De acordo com Ulysses de Castro, diretor do Hran, a previsão de entrega do novo tomógrafo era o final do ano, mas graças à celeridade dada pelo secretário, a obra durou apenas duas semanas e meia e a partir de agora, o Hran poderá contar com dois aparelhos.

“Tínhamos a necessidade de um novo tomógrafo, até porque se houver o aumento da quantidade de casos de pacientes com Covid-19, agora temos esse equipamento. Sem contar que ele será um legado deixado para atender outras patologias, como pacientes encaminhados da cardiologia”, frisa.

Capacidade

O tomógrafo, inaugurado no Núcleo de Radiologia e Imagenologia (NURI) do Hran, possui 16 canais e vai dobrar a capacidade de atendimento do hospital, podendo realizar cerca de 80 a 100 tomografias a mais diariamente.

Novo tomógrafo dobra a capacidade de exames do Hran. Fotos: Divulgação

“Este núcleo foi estruturado com o que há de mais moderno em diagnóstico por imagem, aliando tecnologia de ponta à ciência de vanguarda”, explica o chefe do Núcleo de Radiologia do Hran, Glem Dias de Souza.

O tomógrafo é fundamental para detecção da Covid-19, através dele é possível identificar o comprometimento dos pulmões mesmo que o exame de sangue tenha dado falso negativo.

“Através da tomografia conseguimos triar os pacientes e classificar o nível de acometimento dos pulmões. Ele dá o diagnóstico imediato. Hoje, digo com toda a convicção de que estamos totalmente preparados caso aumente o número de casos de Covid-19”, destaca.

Hoje, o paciente gasta cerca de 20 minutos desde a entrada no Hran até a realização da tomografia, segundo Glem.

 

*Com informações Secretaria de Saúde