12/6/20 19:00
Atualizado em 12/6/20 às 19:01

Hospital de Base adota novas ferramentas para gestão de leitos

Processo mais moderno vai otimizar tempo e recursos em tempos de epidemia

Consultora do Todos pela Saúde, a médica Lilian Mesquita expôs sobre gerenciamento de leitos com foco na segurança do paciente| Foto: Davidyson Damasceno / Iges-DF

Gestores do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) participaram, na última quinta-feira (11), de mais uma etapa do “Projeto Todos Pela Saúde”, em parceria com a Secretaria de Saúde do DF, o Ministério da Saúde, o Banco Itaú e o Hospital Sírio Libanês. Gestão de Leitos e aplicação do Huddle, uma moderna ferramenta de comunicação, foram os temas abordados – são considerados fundamentais para a gestão hospitalar, principalmente em tempos de pandemia de Covid-19.

O diretor-presidente do Iges-DF, Sergio Costa, entendeu que as informações devem ser tratadas como de “fundamental importância para qualificar as ações e, assim, otimizar os resultados esperados dentro de uma gestão eficiente”. O diretor destacou ainda o valor de disponibilizar para as equipes um processo mais moderno de desenvolvimento de gestão de leitos.

“Os debates e diálogos, nessa mesma direção, que têm acontecido com a Secretaria de Saúde, Ministério Público e Judiciário, são, justamente, para a criação de mecanismos que aperfeiçoem o uso dos leitos já implantados e dos outros que estão em processo de instalação. Essa é a única forma de prestarmos assistência qualificada conforme os protocolos criados”, destacou.

O superintendente do Hospital de Base, Weldson Muniz, ressaltou o compromisso e a participação da equipe nos debates durante o momento crítico por que passam as unidades de saúde diante do surto de coronavírus.

“O tempo é crucial, e é preciso usar de forma adequada todos os recursos disponíveis, bem como persistir, sempre, na direção do melhor e mais eficiente atendimento à população”, declarou.

Consultora do projeto Todos Pela Saúde, a médica Lilian Mesquita Gomes expôs sobre gerenciamento de leitos com foco na segurança do paciente. Ela garantiu que o acesso ao leito e a satisfação da família traduzem a eficiência do hospital, que é conquistada por meio da eficácia operacional.

Projeto reúne poder público e iniciativa privada no mesmo propósito: a excelência nos serviços de saúde | Foto: Davidyson Damasceno / Iges-DF

“As linhas traçadas para esse resultado passam pela interface entre todos os profissionais, que lidam com um mesmo paciente, além da comunicação efetiva entre eles, fluxo do paciente e permissão de alta”, explicou.

Foi apresentada também, por vídeo, pelo médico Marcello Pedreira do Hospital Sírio Libanês de São Paulo, a ferramenta Huddle, a ser aplicada no Pronto Socorro, e assim, melhorar o fluxo do paciente dentro da unidade de saúde.

Segundo Marcello, a aplicação da ferramenta consiste em uma reunião, de 10 minutos, pela manhã e à tarde, entre todos os profissionais para fazerem uma avaliação rápida dos pacientes dentro da enfermaria.

“Essa pequena pausa de troca de informações, permite mais qualidade, segurança e evita erros de atendimento ao paciente”, afirma.

 

* Com informações do Iges-DF