18/6/20 19:21
Atualizado em 18/6/20 às 19:21

Todo o apoio em saúde para abrigados em unidades de acolhimento

Fruto de parceria entre as secretarias de Desenvolvimento Social e de Saúde; Fiocruz; e UnB, a ação começa na próxima semana com foco nos idosos

 

Equipes multidisciplinares em saúde vão atender pessoas em situação de rua abrigadas nas unidades de acolhimento do Governo do Distrito Federal (GDF). A atuação começa a partir da próxima semana na Unidade de Acolhimento para Idosos (Unai), em Taguatinga Norte, onde vivem 20 pessoas.

A estratégia de atendimento foi definida nesta quinta-feira (17), durante reunião que envolveu representantes da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Secretaria de Saúde (SES), Universidade de Brasília (UnB) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na sede da fundação.

“Dentro dessa população, o público idoso, por compor o grupo de risco da Covid-19, vai ser o primeiro a receber o acompanhado”, explica a subsecretária de Assistência Social, Kariny Alves.

O atendimento vai envolver residentes de cursos ligados à saúde dessas instituições de ensino e pesquisa. Vindos de programas ligados à medicina residencial, à atenção à saúde e ao atendimento multiprofissional, são quase 80 estudantes das áreas de medicina, enfermagem, educação física, nutrição, fisioterapia, psicologia e assistência social.

“Não sabemos quanto tempo vai durar a pandemia. Então, precisamos consolidar e fortalecer as ações existentes e ampliar novas possibilidades de atendimento a esse público”, enfatiza a diretora da Fiocruz Brasília, Maria Fabiana Damásio Passos.

Antes de iniciarem às atividades nas unidades, eles estão participando de formação ligada ao atendimento voltado para a população de rua, no qual também aborda-se a Política de Assistência Social.

Nas próximas semanas o trabalho vai ser expandido para outros abrigos de pessoas em situação de rua, entre os 12 que o GDF gere, seja de execução direta ou indireta. Outro passo a ser dado é ampliar a rede de parceiros, principalmente da sociedade civil.

Como parte da parceria da Sedes com a Fiocruz está prevista uma capacitação para os trabalhadores do Suas sobre biossegurança, com o foco em ações de prevenção. O curso acontecerá no formato a distância, com o acompanhamento posterior desses trabalhadores.

Segurança alimentar

Também foi iniciada parceria entre a Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional (Subsan) e o Programa de Alimentação Nutrição e Cultura (Palim) da Fiocruz para o apoio técnico na construção de Plano de Ação de Segurança Alimentar e Nutricional para Pessoas em Situação de Rua, abordando medidos emergenciais e planejamento para os impactos posteriores da pandemia. O Palim é responsável pela coordenação do Observatório Brasileiro de Hábitos Alimentares (OBHA).

A Fiocruz é vinculada ao Ministério da Saúde e é uma das mais destacadas instituições de ciência e tecnologia em saúde da América Latina. Seu objetivo é promover a saúde e o desenvolvimento social, gerar e difundir conhecimento científico e tecnológico, e ser um agente da cidadania. A Fiocruz Brasília foi criada em 1976 e fica localizada no campus da UnB.

*Com informações da Sedes