19/6/20 19:59
Atualizado em 19/6/20 às 20:20

Saúde registra 37.909 casos de dengue no Distrito Federal

Ações de combate ao Aedes aegypti continuam em todas as regiões administrativas

As regiões que concentram mais casos são Ceilândia (4,4 mil casos prováveis), Gama e Santa Maria | Foto: Secretaria de Saúde

O Distrito Federal já registrou 37.909 casos prováveis de dengue e 25 óbitos neste ano. Os dados estão no boletim epidemiológico divulgado, nesta sexta-feira (19), pela Secretaria de Saúde. Embora os números tenham aumentado 26% ém relação ao mesmo período do ano passado, as ações para combater o mosquito Aedes aegypti foram intensificadas por meio do Sanear Dengue – programa da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) em parceria com outros órgãos – e da visita diária e de rotina, em todas as regiões administrativas, dos agentes da Dival.

As regiões que concentram mais casos são: Ceilândia, com 4.420 casos prováveis, Gama (4.361) e Santa Maria (3.359). Já os óbitos ocorrem mais nas seguintes cidades: Gama (5), Ceilândia (3), Sobradinho, Guará, Planaltina e Sobradinho II, com dois casos cada uma, e um caso nas regiões de Riacho Fundo II, Lago Sul, Paranoá, Fercal, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga, Vicente Pires e Santa Maria.

O balanço até a 23ª semana aponta uma taxa de incidência de 1.241,88 casos por 100 mil habitantes. Ainda de acordo com o documento, 45 casos são classificados como graves pelas unidades básicas de saúde (UBSs) das regiões administrativas que recebem os pacientes.

O Sanear Dengue vai diariamente a uma região administrativa do DF. Nas ações são utilizadas armadilhas contra o mosquito, visita às casas, aplicação de UBV pesado (fumacê), recolhimento de materiais que possam acumular água e tratamento dos depósitos.

Nas ações, que contam com apoio do Corpo de Bombeiros, das administrações regionais e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU), entre outros órgãos, também é utilizado drone para monitorar, do alto, os imóveis fechados e o recolhimento de carcaças de veículos. Já na rotina dos agentes de Vigilância Ambiental as visitas domiciliares buscam eliminar focos, tratar recipientes com água parada e orientar a população.

Capacitação militar

Para reforçar o combate contra o Aedes aegypti, a Vigilância Ambiental finalizou, nesta quinta-feira (18), a capacitação de 157 militares do Exército e da Força Aérea Brasileira (FAB). Todos foram treinados para identificar e remover depósitos do mosquito e fazer as orientações à população nas visitas domiciliares previstas no programa Sanear Dengue para eliminar os focos do Aedes nas residências.

O curso simplificado para atuação em Vigilância em Saúde foi realizado com cinco batalhões, cada um sendo treinado ao longo de um dia inteiro, em cada semana. Enquanto no período da manhã aprendiam a parte teórica, à tarde tinham aulas práticas, simulando técnicas de visita e inspeção domiciliar até uso de larvicida.

A previsão é de que os militares já participem das ações junto com os agentes de Vigilância Ambiental a partir da próxima segunda-feira (22), quando as equipes visitarão a Fercal, no período da manhã, para inspecionar as residências e eliminar os focos do mosquito. Devido à pandemia do novo coronavírus, todos militares usarão máscaras e farão as orientações sem precisar entrar nos domicílios.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde