19/6/20 21:06
Atualizado em 19/6/20 às 21:06

Visita virtual é implementada na Penitenciária Feminina

Ligações de vídeo, por meio de WhatsApp instalado em tablets, serão realizadas de segunda a sexta-feira

Novo formato de visita será estendido aos demais presídios | Foto: Secretaria de Segurança Pública

A partir desta sexta-feira (19), internas que cumprem pena na Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF) passam a contar com mais uma forma de contato com familiares: a visita virtual. A medida foi implementada de forma pioneira na unidade prisional, pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), para viabilizar o contato de familiares e amigos com internos durante a suspensão das visitas – medida adotada como parte das ações de combate à pandemia de Covid-19.

O novo formato de visita será estendido aos demais presídios. A medida foi uma iniciativa conjunta entre Seap, o Ministério Público, a Vara de Execução Penal (VEP) e o Departamento Penitenciário (Depen). Internos da Ala de Tratamento Psiquiátrico (ATP) também terão acesso ao novo formato de comunicação.

As ligações de vídeo, por meio do aplicativo WhatsApp instalado em tablets, serão realizadas de segunda a sexta-feira. Diariamente poderão ser realizadas até trinta ligações, de três minutos cada uma. O agendamento ocorre após indicação do interno ou interna sobre o familiar ou amigo cadastrado e autorizado como visitante.

“Esta é mais uma forma de minimizarmos a suspensão das visitas. Já havíamos implementado o envio de mensagens por meio de nosso site. Agora estamos viabilizando mais este meio de comunicação. O contato com os familiares serão acompanhados por policiais penais da unidade”, explicou o secretário de Administração Penitenciária, o delegado Adval Cardoso.

Antes da ligação ser realizada será feito um contato prévio com o familiar ou amigo cadastrado. Mas o objetivo é disponibilizar os horários por meio do site da pasta. “Por isso é tão importante que o cadastro do visitante esteja atualizado, mesmo com a suspensão das visitas presenciais”, acrescentou o secretário.

Trabalho conjunto

Representantes do Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional (Nupri/MPDFT), da VEP e do Depen acompanharam a demonstração das visitas virtuais, na Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF). As ligações serão realizadas por meio dos cinco tablets entregues pelo Depen à Seap. A doação foi resultado das tratativas do MPDFT e da VEP para diminuir o impacto da suspensão das visitas durante a pandemia de Covid-19.

Atualmente há 654 detentos na PFDF, entre os quais 547 mulheres e mais 107 pessoas de ambos os gêneros na ala de tratamento psiquiátrico. Até o momento não há registro de caso de coronavírus na unidade.

Para a juíza da VEP, Leila Cury, a implementação da visita virtual é um alento para familiares e reeducandos. “Quando falamos que a visita será virtual nos remete a algo frio, pois será feita por meio de máquinas. Mas, diante deste cenário pandêmico, é imprescindível o uso desses equipamentos para aproximação. A aproximação entre familiares e reeducandos é essencial para ambos. Acompanhamos as primeiras visitas virtuais hoje e foi muito emocionante”, relatou Leila.

Mais perto

A nova modalidade agradou as sentenciadas. Para uma delas, que fez a ligação para a filha, esta é uma forma de estar mais perto da família. “Esta é uma oportunidade de olharmos para nossos familiares e ver que realmente está tudo bem, pois desde da suspensão das visitas o contato tem sido feito por meio de cartas. Só posso agradecer”, afirmou.

Em abril, a Seap passou a disponibilizar um canal para troca de mensagens entre familiares e internos em abril, por meio do link do cadastro de visitantes. O familiar ou amigo cadastrado acessa o mesmo link em que retira senhas para realizar visitas.

Após confirmação de dados será aberto um espaço para incluir as informações. A mensagem será impressa e entregue ao interno, pela equipe do Núcleo de Visitas de cada unidade prisional, e poderá responder à mensagem.

Reeducandos em quarentena ou contaminados pela Covid-19 também estão contemplados com a medida. Independentemente das mensagens, as informações do estado de saúde de cada um continuam a ser repassadas às famílias por meio das equipes das unidades prisionais.

 

* Com informações da Secretaria de Segurança Pública