24/6/20 16:24
Atualizado em 24/6/20 às 16:33

Guará conta com nova tecnologia para eliminar a dengue

Equipamento atrai as fêmeas do mosquito para uma armadilha onde são infectados tanto os insetos quanto os ovos, interrompendo a cadeia de contágio

Agentes da Vigilância Ambiental manuseiam a armadilha, que ajuda a eliminar o mosquito transmissor da doença | Foto: Divulgação / Ascom Guará

O combate à dengue no Guará ganhou um reforço nesta quarta-feira (24), com o lançamento de um projeto experimental que utiliza tecnologia holandesa em um novo tipo de armadilha para o mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. Chamada In2Care, a armadilha de captura é uma ferramenta inovadora, aprovada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O equipamento emite substâncias que atraem as fêmeas para depositar os ovos no interior de um recipiente semelhante a um balde – onde as larvas, posteriormente, podem ser eliminadas. O local fica como um ponto de disseminação: durante a postura dos ovos, os mosquitos são contaminados pelo larvicida e por um fungo. Ao voarem para fora da armadilha, os insetos espalham as substâncias em outros criadouros. Em poucos dias, são mortos pela ação dos produtos químicos utilizados.

Acompanhamento

Agentes da Vigilância Ambiental vão monitorar o recipiente por 45 dias, divididos em três ciclos. “O objetivo é que esse acompanhamento possa antecipar ações, identificando os locais com focos para que sejam eliminados os mosquitos de forma eficiente”, explica o entomologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Renato Maspero, responsável pela implantação da técnica no Guará e em outras localidades do Distrito Federal.

Nesse primeiro momento,  30 armadilhas serão distribuídas estrategicamente no Guará, abrangendo o hospital regional local, delegacias, unidades básicas de saúde (UBSs), Inspetoria de Saúde e áreas com grandes índices de infectados, como a QE 38. O equipamento será integrado ao conjunto de técnicas já em funcionamento pelo plano de ação de combate à dengue proposto pela Vigilância Ambiental.

“A nossa mobilização, certamente, trará resultados significativos para a população”, assegura a administradora do Guará, Luciane Quintana.  Ela destaca que têm contribuído para a redução de casos de dengue na cidade as ações empreendidas por meio de parcerias com a força-tarefa Sanear Dengue – que conta com apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) –, o programa GDF Presente e o projeto DF Livre de Carcaças.

Nesta quinta-feira (25), serão utilizados drones para o monitoramento da região do Setor Lucio Costa. Na sexta-feira (26), será a vez das quadras comerciais do Guará I e II. Nesses locais, os equipamentos aéreos ajudarão a detectar possíveis focos geradores ou depósitos de água.

 

 

 

 

* Com informações da Ascom Guará

* Com informações da Ascom Guará