26/6/20 13:25
Atualizado em 26/6/20 às 13:25

Projeto Cuidar: pacientes com doenças degenerativas terão novo protocolo

Projeto prevê centro especializado para reabilitação de quatro tipos de deficiência

O Projeto Cuidar vai definir o fluxo de atendimento e novos protocolos para pacientes de doenças degenerativas no Distrito Federal.

“Esse projeto é fundamental para a ampliação e a melhoria do atendimento de pacientes com doenças degenerativas e demonstra uma preocupação do governo, na pessoa da primeira dama Mayara Noronha, com aqueles que sofrem com deficiências física, intelectual, visual e auditiva”, disse Francisco Araújo, lembrando que os debates sobre o tema “vão garantir que possamos alcançar as melhores soluções, tanto no fluxo de atendimento, quanto com relação a novos protocolos”.

A reunião, nesta quinta-feira (25), iniciou a fase de discussão do projeto. Após todas as ponderações, pretende-se elaborar e publicar uma portaria que disponha um novo fluxo de atendimento em todas as sete regiões da rede assistencial. A criação de um novo Centro Especializado em Reabilitação (CER) em quatro modalidades de deficiência – física, intelectual, visual e auditiva – também está entre os objetivos do projeto. O DF ainda não tem nenhum centro que atende nessas quatro modalidades.

A diretora de Atenção Secundária, Eliene Sousa, explica que apesar da existência de alguns centros de referência para atendimentos a este público, o DF ainda carece de uma regulamentação para políticas mais efetivas. Segundo ela, “ainda não existe um encaminhamento claro para estes centros. Então o projeto irá auxiliar na definição das linhas de cuidado, de encaminhamento dos pacientes e até da organização da rede”.

O projeto é de autoria da primeira dama do Distrito Federal, Mayara Noronha, e prevê um investimento de R$ 625 mil por mês. Em 2019 foram realizadas 13.001 consultas médicas no CER de Taguatinga, CER do Centro Educacional de audição e linguagem Ludovico Pavoni (CEAL) e no ambulatório do Hospital de Apoio (neuro adulto, infantil, ortopedia, otorrino e genética). Até abril deste ano, foram realizadas 3.898 consultas nessas especialidades, nesses Centros de Referência.

Implementação

A implementação do Projeto Cuidar nos Centros Especializados de Referência consiste em quatro passos: o cadastramento de fonoaudiólogos e fisioterapeutas voluntários, monitoramento do tempo de espera dos pacientes, monitoramento de vagas disponíveis para atendimento e oferecimento de grupos de apoio e cursos para os cuidadores desses pacientes.

 

*Com informações Secretaria de Saúde