17/7/20 8:05
Atualizado em 17/7/20 às 8:05

Mais de R$ 2 milhões em obras no Guará 

Aquisição de câmeras, recapeamento asfáltico, reforma ou construção de calçadas e revitalização de um parque estão no pacote de serviços

Fotos: Divulgação

O segundo semestre de 2020 vai ser de obras no Guará. A administração regional descentralizou mais de R$ 2,2 milhões para aquisição de câmeras, recapeamento asfáltico, reforma ou construção de calçadas e revitalização de um parque.

A série de melhorias que promoverão segurança e qualidade de vida aos moradores tem projeto e verba garantidos, e serão executados pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap).  

Os trabalhos serão viabilizados por recursos de emendas parlamentares do distrital Rodrigo Delmasso, vice-presidente da Câmara Legislativa (CLDF), e do Quadro de Detalhamento de Despesa (QDD) da Administração Regional do Guará.

A Novacap ficará à frente das ações de recapeamento, calçadas e revitalização do parque. A primeira poderá ser feita dentro de contratos vigentes, após dimensionamentos. As outras vão precisar ser licitadas. 

O calendário para execução será definido em breve, mas a previsão de conclusão de todas as intervenções é 31 de dezembro deste ano. De acordo com a administradora regional, Luciane Quintana, as melhorias são “urgência da urgência”. Envolvem demandas que chegam, há tempos, pela Ouvidoria (162 ou www.ouv.df.gov.br) e identificadas em vistorias e mapeamentos feitos pelo órgão na cidade. 

Recapeamento asfáltico 

O maior investimento será em recapeamento asfáltico: R$ 1 milhão será destinado para refazer as pistas da QE 15 do Guará II, área crítica identificada pelas equipes técnicas da administração regional. “Os questionamentos e demandas que recebemos sobre isso são de muitos anos de moradores dessa quadra. Ali, tapa-buraco já não funciona mais”, revela gestora do órgão. 

O asfalto, antigo, prejudica toda a comunidade: pais que não conseguem passear com carrinho de bebê, veículos com constantes furos de pneus, e até escala de varrição entre vizinhos para diminuir poeira. A servidora pública Lorena Leite, de 37 anos, mora na quadra desde 2013 e conta que a reivindicação por melhorias no asfalto tem pelo menos quatro anos. 

São anos de protocolos, abaixo-assinado e dor de cabeça. “A rua tem muitos idosos e, com asfalto ruim, já teve caso de senhoras que tropeçaram e pararam no hospital. Também não há queda para boca de lobo, então a água empoça do meio para o final da rua até quando alguém lava a frente de casa”, relata. 

Reforma e construção de calçadas

Acessibilidade, mobilidade, segurança, convivência. Isso é o que a administração pretende dedicar à população guaraense com reforma e construção de calçadas em dez quadras e entrequadras da cidade, com aplicação de R$ 575 mil. Receberão as intervenções: QI 25, EQ 13/15, EQ 15/17, EQ 19/21, EQ 24/26, EQ 26/28, EQ 28/30, EQ 30/32, EQ 32/34 e EQ 34/36. 

“Uma cidade que investe em calçadas de qualidade é uma cidade que se importa com os moradores”, acredita Joaquim Moraes Lopes, de 53 anos. Morador do Guará há dez anos, o publicitário diz ter o costume de resolver o máximo de pendências a pé pela cidade. “É importante ter superfícies pensadas para quem caminha, sem riscos de acidentes”, aponta. 

Câmaras de segurança

A preocupação com segurança também levará ao monitoramento da cidade. Com R$ 700 mil, o GDF vai adquirir e instalar 50 equipamentos pelo Guará, ampliando o projeto de videomonitoramento. Luciane Quintana explica que os pontos estratégicos para inibir a criminalidade serão identificados em parceria com a Secretaria de Segurança Pública (SSP). 

“Queremos que os moradores se sintam mais seguros. Com as câmeras, pretendemos inibir a criminalidade, tirar a certeza de que ninguém está vendo possíveis crimes pela região”, esclarece a gestora. Segundo dados da própria SSP, no primeiro semestre do ano foram registradas 364 ocorrências de crimes na região. 

De acordo com a SSP, a previsão é que a instalação seja iniciada no fim desse mês. “O principal critério ocorre de acordo com as manchas criminais, mapas de análise e comparação que, usando o registro de ocorrências criminais, determina dias, horários e locais de maior incidência dos crimes em cada região pesquisada”, explica a pasta. Os comandos de batalhões da Polícia Militar e delegados também são consultados.

A secretaria ainda explica que o videomonitoramento permite, entre outras coisas, identificar suspeitos de crimes e auxiliar investigações policiais. O Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) é responsável pelo monitoramento das imagens, que contribuem, junto com o policiamento ostensivo da PMDF e planejamento de operações feitas pela PCDF, para a diminuição da criminalidade e o aumento da sensação de segurança. 

Um novo parque 

O Parque Urbano Denner tem 15,35 hectares – equivalente a 21 campos de futebol – foi criado para preservação, manutenção e garantia da área, o espaço também é núcleo de recreação, lazer e esporte. Com R$ 275 mil da administração, o local passará por revitalização, com construção de calçadas, cercamento da nascente, instalação de um deque e alargamento da pista de cooper. 

“O parque é muito utilizado pelos moradores, que pedem por melhorias. Com isso, vamos valorizar o espaço, promover a integração das famílias, estimular a saúde e a qualidade de vida”, aponta a administradora. Agora sob gestão exclusiva do órgão, o local pode receber melhorias diretas. Ele fica entre a QE 40 e o Polo de Modas. 

Moradora da cidade há mais de duas décadas, a servidora pública Maria Júlia Almeida, de 42 anos, recebeu a notícia da revitalização com expectativa. “Ter um parque perto de casa é um privilégio, mas precisa ser cuidado por todos. Saber que será melhorado é um presente para todos os moradores”, afirma.