23/7/20 19:14
Atualizado em 23/7/20 às 19:14

Secretaria de Saúde prorroga suspensão de cirurgias eletivas

Procedimentos de urgência e emergência permanecem sendo feitos nos hospitais da rede

Para concentrar esforços nos atendimentos de urgência e emergência em toda a rede pública de saúde do Distrito Federal, a Secretaria de Saúde prorrogou, até o dia 9 de agosto, a suspensão das cirurgias eletivas. A medida ocorre enquanto o Distrito Federal atravessa o pico e platô da pandemia do novo coronavírus Sars-CoV-2.

A secretaria lembra que esse tipo de procedimento está suspenso desde o dia 29 de junho. A exceção permanece para os procedimentos oncológicos, cardiovasculares e transplantes, que continuarão sendo feitos normalmente. O subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Gustavo Bernardes, esclarece que a prorrogação foi necessária especialmente para garantir o atendimento dos casos graves da Covid-19.

“Continuamos com muita dificuldade de compra de sedativos e anestésicos, necessários para a intubação dos pacientes que necessitam de suporte ventilatório, enquanto ainda temos um alto número de internações”, avalia o gestor. Devido a pandemia, existe uma escassez mundial de substâncias e medicamentos utilizados para a sedação.

Assistência

O objetivo inicial da medida era assegurar a retaguarda de leitos no momento em que é esperado uma demanda maior nos hospitais. Com isso, a pasta espera disponibilizar as salas cirúrgicas que eram reservadas para os procedimentos eletivos aos pacientes da Covid-19, da mesma forma, os leitos de enfermarias que eram reservados para a recuperação daqueles pacientes ficam disponíveis para os que se recuperam dos sintomas ocasionados pelo vírus.

Os pacientes com alguma cirurgia de menor gravidade agendada entre os dias 29 de junho e 9 de agosto, serão remarcados para depois dessa data.

*Com informações da Secretaria de Saúde