4/8/20 13:29
Atualizado em 4/8/20 às 13:29

Parque da Cidade será administrado pela Secretaria de Esporte

Pasta quer padronizar quiosques e criar Praça do Atleta Paralímpico

O Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek terá um novo gestor: a Secretaria de Esporte e Lazer. O remanejamento da unidade será oficializado após a publicação de Decreto no Diário Oficial do DF (DODF). Anteriormente, o espaço era gerido pela Secretaria Executiva das Cidades, da Secretaria de Governo.

Secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão adianta algumas medidas que estão nos planos da pasta ao assumir toda a estrutura do parque, entre elas a padronização dos quiosques, a identidade visual e a Praça do Atleta Paralímpico.

Sobre a praça ela diz: “Será um espaço onde poderão frequentar, que terá um jardim sensorial e uma pista de caminhada para deficientes. É uma ideia inclusiva”, aposta.

Os parques do DF foram reabertos gradualmente após a publicação do Decreto nº 40.997, em 17 de julho. Os locais foram autorizados a funcionar das 6h às 21h, sendo obrigatório o uso de máscaras pelo público, a exemplo do que já fazem os servidores.

“O Parque da Cidade é um lugar que a gente percebe que pode ser melhorado, ampliada toda aquela entre estrutura ali. Então nós vamos trabalhar um olhar especial para o Parque e fazer todos os investimentos de melhoria para que as pessoas tenham mais opções de lazer”, acrescenta Celina Leão.

Fundado em 11 de outubro de 1978, a estrutura está localizada no coração da capital e se transformou em ponto de encontro diário para milhares de brasilienses. O Parque reúne o trabalho do quarteto ícone da capital. Com projeto de Oscar Niemeyer, obra paisagística de Burle Marx e área urbanística desenvolvida por Lúcio Costa, além de colecionar azulejos de Athos Bulcão.

O Parque da Cidade tem uma área de 420 hectares conta com dezenas de churrasqueiras, quadras de futebol, de areia, de beach tennis e poliesportivas, além de playgrounds, conjuntos sanitários, parques infantis e pontos de encontros comunitários (PEC). Boa parte da estrutura está restrita devido à pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19).