6/8/20 15:26
Atualizado em 6/8/20 às 16:46

Mais 560 oxímetros para pacientes na Atenção Primária

Secretaria de Saúde recebe doação de aparelhos que vão auxiliar no diagnóstico e acompanhamento de casos da Covid-19

Pequeno dispositivo conecta-se a uma parte do corpo, como dedos ou lóbulo da orelha, para fazer o teste indolor | Foto: Agência Saúde

A Secretaria de Saúde recebeu da Fundação Itaú 560 oxímetros e distribuiu para as superintendências regionais de saúde do Distrito Federal. Os equipamentos serão utilizados nas unidades básicas de saúde (UBSs) e auxiliarão no diagnóstico e acompanhamento dos casos de Covid-19.

Os oxímetros serão utilizados por equipes de estratégia de saúde da família, equipes de consultório de rua e equipes na saúde prisional. A doação foi mediada pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

“Esse oxímetro vai ser de extrema importância para que a gente consiga fazer desde o diagnóstico dos casos até o acompanhamento da evolução desses casos”Francisco Damasceno, coordenador da Atenção Primária à Saúde

A entrega dos aparelhos foi feita na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Nova Colina, em Sobradinho, e contou com a presença do secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo. Ele enfatizou a importância de melhorar o suporte à Atenção Primária.

“Chegou o momento de colocar a Atenção Primária como protagonista, porque as pessoas só buscam a Atenção Secundária, os hospitais, e precisamos desafogar esses locais. Esse aparelho vai possibilitar identificar casos de Covid-19 no início e, dessa forma, proteger a população”, vislumbrou o secretário.

“Os oxímetros vão auxiliar como equipamento adicional na identificação da hipoxemia, que é um dos principais sinais de gravidade da síndrome respiratória do coronavírus. Principalmente o paciente que já está com uma saturação menor que 94. Já é um sinal de gravidade”, explicou o coordenador da Atenção Primária à Saúde, Fernando Érick Damasceno.

Aparelhos foram distribuídos de acordo com a necessidade de cada região, de modo a não faltar oxímetros em UBSs | Foto: Agência Saúde

Já o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Gustavo Bernardes, explicou que o DF está na nova fase da Covid-19 e, neste sentido, os aparelhos de oxímetro são ainda mais importantes na tarefa de identificar casos precoces de infectados pelo novo coronavírus.

Por sua vez, a superintendente da Região de Saúde Norte, Sabrina Gadelha, agradeceu a doação dos aparelhos e ressaltou a importância deles na detecção da Covid-19. “Temos uma Atenção Primária muito atuante na Região Norte e esses oxímetros irão dar suporte para os profissionais de saúde que estão na linha de frente, ajudando no diagnóstico e identificando se será necessário internação ou não do paciente”, destacou.

Função

O oxímetro recebido é um pequeno dispositivo em forma de clipe que se liga a uma parte do corpo, como dedos ou lóbulo da orelha. Com ele é possível fazer o exame de oximetria, que é um teste não invasivo e indolor que mede o nível de saturação de oxigênio ou os baixos níveis de oxigênio no sangue, a hipoxemia. Ele pode detectar rapidamente até pequenas mudanças na eficiência com que o oxigênio é transportado para as extremidades mais distantes do coração, incluindo pernas e braços.

O coordenador Fernando Damasceno reforçou a importância do equipamento nos cuidados dos pacientes com Covid-19. “Esse oxímetro vai ser de extrema importância para que a gente consiga fazer desde o diagnóstico dos casos até o acompanhamento da evolução desses casos”, elogiou.

Os aparelhos foram distribuídos de acordo com a necessidade de cada região, de modo a não faltar oxímetros em nenhuma UBS. Para a Região de Saúde Centro-Sul foram destinadas 66 unidades, enquanto a Central ficou com 36, a Região Norte com 90, a Sul com 61, a Oeste com 87, a Região Sudoeste com 141 e a Leste com 59 unidades, além das 20 peças que foram entregues ao Núcleo de Atenção Domiciliar (Nrad). Atualmente, são 580 as equipes de Saúde da Família no DF.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde