6/8/20 11:52
Atualizado em 6/8/20 às 11:52

Vazio sanitário da soja: fiscalização só notifica oito produtores

Eles foram orientados quanto à necessidade de manutenção das áreas sem plantas vivas desta cultura específica

A primeira etapa da fiscalização anual do vazio sanitário da soja no Distrito Federal foi concluída em apenas três dias, por meio de ação da Subsecretaria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF).

Cinco equipes da Seagri-DF percorreram 2.735 quilômetros, fiscalizando aproximadamente cem mil hectares de áreas produtivas, em 555 locais com histórico de produção ou potencial para cultivo de soja.

Foto: Seagri-DF/Divulgação

Não houve autuações nesta etapa, sendo notificados apenas oito produtores, cujas áreas apresentaram plantas vivas de soja. Esse tipo de planta espontânea, também chamada de soja guaxa, tem origem na germinação de sementes ou grãos que sobram após a colheita ou que caem durante o transporte em momento indesejado. 

Os produtores notificados foram orientados quanto à necessidade de manutenção das áreas sem plantas vivas de soja, tendo um prazo para regularização da situação.

“O resultado encontrado demonstra que os produtores estão cientes da necessidade e importância do programa do vazio sanitário da soja, e que os esforços da Seagri-DF, de divulgação dessa medida ao longo dos anos, têm sido de extrema valia para o seu fiel cumprimento”, afirmou o gerente de Sanidade Vegetal da Seagri-DF, Karlos Santana.

Durante o período do vazio sanitário, os produtores de soja têm explorado diversas outras culturas, como milho, sorgo, trigo, aveia, girassol e até gergelim. “A alternância em uma mesma área contribui para o equilíbrio do ecossistema, redução de pragas, preservação de inimigos naturais, maior fertilidade do solo, aumento da produtividade e diminuição do uso de agrotóxicos. Isso promove maior sustentabilidade para a produção agrícola local e nacional”, explicou Santana.


Serviço
O vazio sanitário da soja, no Distrito Federal, vai até o dia 30 de setembro. Em caso de dúvidas ou denúncias, entre em contato com a Defesa Agropecuária da Seagri-DF por meio do e-mail gesav@seagri.df.gov.br ou pelo telefone 3051-6422 (WhatsApp).


* Com informações da Secretaria de Agricultura do DF