3/9/20 16:09
Atualizado em 3/9/20 às 16:40

População recebe uma nova Galeria dos Estados

Com investimento de R$ 5 milhões e empregando centenas de pessoas na obra, o espaço foi transformado em novo centro de compras, serviços e lazer

Um ano e meio de obras, dezenas de empregos e uma ampla reforma. Galeria dos Estados, no Plano Piloto, é devolvida à população como um novo centro de compras, serviços e lazer para os brasilienses. Agora mais moderno e seguro, o espaço foi completamente revitalizado. O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu R$ 5 milhões e transformou tudo por lá.

O descaso visto nos últimos anos acabou. Agora, o centro comercial tem lojas reorganizadas. As obras atingiram a parte estrutural, elétrica e hidráulica. O piso é totalmente novo. Foram usados mais de 1,9 mil m² de granito e outros 1,1 mil m² de granitina. As normas de acessibilidade também foram enquadradas às necessidades atuais de pessoas com locomoção reduzida. A galeria ganhou elevador para pessoas com necessidades especiais.

Inaugurada na década de 70, a famosa passagem subterrânea entre os setores comercial e bancário Sul ficou fechada por um longo período após o desabamento de um viaduto no Eixão Sul, em fevereiro de 2018. O local sofria com infiltrações, inundações, pisos quebrados, banheiros desativados e insegurança.

Piso novo e iluminação transformaram a Galeria dos Estados em um comércio atrativo e seguro. Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

A reforma gerou 50 empregos diretos e 150 empregos indiretos e tornaram a galeria mais atraente, confortável e segura para quem circula pelos setores bancário, comercial e de autarquias, locais de grande fluxo no centro da capital. Para se ter uma ideia, nos dias úteis do mês de julho deste ano, cerca de 2,1 mil pessoas passaram diariamente pela estação do metrô, que está conectada à Galeria dos Estados.

Neste mesmo período, em 2019, portanto, sem a pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), o fluxo era de aproximadamente 6,6 mil pessoas/dia, o que reforça a importância do ponto comercial.

“A galeria é um espaço tombado e importantíssimo para Brasília. Temos ali lojas que estavam detonadas e foram vandalizadas ao longo dos últimos anos”, destaca o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite. “O resultado foi um trabalho maravilhoso. Fizemos toda a infraestrutura, recuperamos as lojas, portas, banheiros. Quase uma construção nova. A cidade ganha muito com a devolução deste espaço, ficou muito bonito”, explica.

Atenção merecida

Esquecida pelos governantes nos últimos anos, a Galeria dos Estados foi se definhando. Cada reparo necessário era deixado de lado e as necessidades de reforma estruturais continuavam sendo proteladas. O abandono deu lugar a um espaço que se tornou ocioso, perigoso e pouco atrativo. Falar da nova Galeria dos Estados brilha os olhos de quem trabalha lá.

A galeria mudou para melhor e, aos poucos, todos vão se recuperando economicamente”, afirma Caio Queiroz que trabalha na galeria. Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

“Hoje está bem arrumado, o pessoal limpa todos os dias aqui. É muito melhor trabalhar num ambiente organizado e limpo, diferentemente do que era antigamente, né? Agora está seguro.

A galeria mudou para melhor e, aos poucos, todos vão se recuperando economicamente”, afirma Caio Queiroz, funcionário da Tucunaré – Caça, Pesca e Armas, loja que está no local há 35 anos.

Proprietária da loja Um Toque a Mais, Josenilda Sampaio Leite, também aprova a reforma. “Estou há mais de 15 anos aqui e em relação à mudança está perfeito. A melhora foi grande e a expectativa é que agora a gente tenha o retorno dos clientes. O visual aqui melhorou 100%”, aponta.

Para a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, a reforma significa um resgate da memória da cidade.

“A Galeria dos Estados é um espaço simbólico. Pensada para abrigar boxes que venderiam produtos e comidas típicos da cultura de cada um dos estados brasileiros, se transformou num grande corredor com comércios diversos, onde passam milhares de pessoas por dia. Foi completamente reformada para melhorar a acessibilidade e segurança de quem transita. E compor, complementar e servir a imensa praça localizada à sombra do eixo rodoviário reconstruído”, recorda.

Lixeiras

A Novacap instalou oito novas lixeiras na galeria para, assim, sensibilizar a população a respeito do descarte correto de lixos. Os depósitos foram posicionados em pontos estratégicos, sendo um em cada área de convivência da parte externa – na Praça dos Estados – e quatro na passagem subterrânea entre o setor comercial e o Setor Bancário Sul.

Praça dos Estados

A reforma da Galeria dos Estados não foi a única obra no endereço que fica no coração de Brasília. Batizada de Praça dos Estados, o espaço de convivência foi entregue à população em junho de 2020. Neste empreendimento foram investidos R$ 2,6 milhões, sendo R$ 2 milhões em serviços empregados pela Novacap.

Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

A Praça dos Estados foi construída com oito mil metros quadrados de calçadas acessíveis e meios-fios, acompanhada pelo plantio de mais nove mil metros quadrados de grama, 90 arbustos, 54 palmeiras e nove ipês.

Um cenário bem diferente do anterior, quando era tomado pela ilegalidade, poluição visual, carros estacionados irregularmente e a sensação de insegurança pela população, mal iluminado e com aspecto sujo.

“Passava por esse trajeto antes da reforma e parecia ser mais perigoso. Agora, está tranquilo. As iluminações internas e externas ficaram muito boas. A praça ficou bem legal também. Bem melhor do que era antes. Está tudo muito bonito”, garante o servidor da Justiça Federal, Luciano Filho.

Além do paisagismo, o local conta com bancos, pergolados e um espaço para implantação de bicicletários. Por lá também foram construídas 16 bocas de lobo para auxiliar na drenagem da região. Tudo com acessibilidade, tornando a convivência mais democrática.

Sobre a iluminação a qual Luciano Filho citou, foi instalado um novo sistema de iluminação pública pela Companhia Energética de Brasília (CEB), trazendo segurança para a população. Foram colocados 57 postes de aço com luminárias de LED, um poste de concreto e 16 conjuntos de projetores, também de LED. Este serviço, aprovado pela Secretaria de Obras e executada pela CEB, teve investimento de R$ 635 mil.

A Novacap também foi responsável por um recapeamento completo nas vias: usou, ao todo, 1.161 toneladas de massa asfáltica em uma área de 10,2 mil metros quadrados. A companhia efetuou a demolição das alças temporárias de desvio do viaduto (construídas após a queda) e a pavimentação das alças de acesso aos eixos W e L Sul, oferecendo mais comodidade para os condutores de veículos.

Memória

Em fevereiro de 2018, parte do viaduto sob a Galeria dos Estados desabou. A obra de recuperação do viaduto teve início em setembro do mesmo ano, mas tomou corpo e foi acelerada em janeiro de 2019 – à época estava com 24% de execução –, sendo entregue em junho do mesmo ano.

Entregar a obra e devolver o espaço aos condutores por onde transitam 120 mil pessoas por dia foi um dos principais compromissos da atual gestão no ano passado. Isso só foi possível porque o andamento dos trabalhos foi agilizado, com 138 profissionais trabalhando em dois turnos. À época, a determinação do governador Ibaneis Rocha, era devolver aos brasilienses, com a maior brevidade possível, o fluxo no Eixão.

Foi construída uma nova estrutura na área desabada. Parte do viaduto, que não sofreu danos, foi restaurado e recebeu reforços. E, enquanto a obra foi se desenhando, engenheiros da Novacap e Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER/DF) realizaram os ensaios estruturais, garantindo a qualidade da estrutura.

Galeria de Fotos

População recebe uma nova Galeria dos Estados