6/9/20 12:55
Atualizado em 8/9/20 às 18:00

GDF Presente acumula toneladas de cuidados

Em 240 dias, programa reuniu números grandiosos de ações nas 33 regiões administrativas. Confira o que foi feito. Vem muito mais por aí

Ceilândia, a maior cidade do DF, recebe ações constantes do programa | Fotos: Divulgação/GDF Presente

Problemas rapidamente resolvidos, comunidade satisfeita e cidades bem-cuidadas se tornaram marca do governo local desde que o GDF Presente começou a funcionar. Com ações diárias, o programa acumula números grandiosos. Apenas em 2020, nos 240 dias transcorridos entre 1º de janeiro e 18 de agosto, as equipes recolheram 49.501 toneladas de entulho das ruas – o equivalente ao peso de 8.250 elefantes.

49.501 toneladas Quantidade de entulho recolhida entre janeiro e agosto

Além disso, os serviços avançaram pelas 33 regiões administrativas (RAs) tapando 71% dos buracos identificados. Com apoio da Companhia Energética de Brasília (CEB), mais de 5,126 lâmpadas convencionais foram trocadas pelas de LED. Graças ao programa, 14.146 metros de redes de águas pluviais foram desobstruídos, construídos ou reconstruídos, enquanto 4.095 bocas de lobo passaram por limpeza ou reparos. Quer mais? Tem muito mais. O GDF Presente, nesse período, também foi o responsável pela poda de 31.554 árvores.

Entre 1º de janeiro e 18 de agosto deste ano, mais de 32 mil árvores foram podadas no DF

Envolvendo o trabalho de 13  órgãos do governo, o programa tem como diferencial descentralizar trabalhos para agilizar soluções de demandas das administrações regionais. “[O GDF Presente] já se consolidou como um instrumento de atendimento às demandas emergenciais do cidadão”, avalia o secretário de Governo, José Humberto Pires, responsável pela coordenação dos serviços. “Não adianta o governo trabalhar se não tiver a visão de atender o morador lá na cidade dele”.

“O GDF Presente já se consolidou como um instrumento de atendimento às demandas emergenciais do cidadão. Não adianta o governo trabalhar se não tiver a visão de atender o morador lá na cidade dele”José Humberto Pires, secretário de Governo

Para o secretário, três características garantem o sucesso da iniciativa. A primeira é a oitiva da comunidade, para entender o que precisa ser feito em cada cidade. A seguir, vem o envolvimento de órgãos que prestam serviços diferentes para a comunidade, pois se trata de um trabalho conjunto. A outra especificidade é o reforço nos equipamentos que executam os serviços demandados – o GDF Presente conta com 112 caminhões e máquinas.

“Nós criamos o e-cidades, um aplicativo que o cidadão pode acessar e fazer a demanda dele; fazemos o monitoramento de todas as ouvidorias das RAs e da central do governo e temos uma resolutividade que passa dos 75%”, ressalta José Humberto.

Buracos em extinção

Uma das ações prioritárias são as operações tapa-buracos. Dos 13.861 buracos identificados em todas as cidades do DF, 9.891 foram tapados pelas equipes do GDF Presente. Só neste ano, foram 35.442 toneladas de massa asfáltica para a atuação dos sete polos do programa.

No Gama, a administração declarou guerra aos buracos e as equipes do Polo Sul receberam, em dez dias, 150 toneladas de massa asfáltica para acelerar o trabalho. Em São Sebastião, a meta é chegar ao buraco zero até o dia 15. Já estão quase lá, pois 90% dos serviços foram executados. “Essa é nossa principal demanda”, afirma o administrador da cidade, Alan Valim. “O GDF Presente deu um dinamismo muito grande às ações da administração. A gente vê como a cidade melhorou”.

No Gama, operação tapa-buracos ganha reforço e inclui outras benfeitorias, com apoio das equipes do GDF

A Administração do Gama mapeou 1.990 buracos, mas a administradora da cidade, Joseane Monteiro, moradora desde 1997, enumera outras melhorias que o GDF promoveu. “O Detran pintou faixas de pedestre, o SLU pintou meios-fios, conseguimos fazer a manutenção dos pontos de encontro comunitários (PECs), recolhemos entulho. O Gama agora é uma cidade limpa e bem-cuidada”, comemora.

Batalha contra o lixo

Em Ceilândia, a maior cidade do DF, a luta é contra o lixo. Lá, além de jogarem entulho em áreas de transbordo irregular, carroceiros e até mesmo alguns moradores despejam os volumes em qualquer terreno vazio – e também em cima das calçadas. “Fazemos operações de limpeza constantemente na cidade, cercamos lotes vazios e indicamos locais adequados para o descarte”, informa o administrador de Ceilândia, Marcelo Piauí.

A dinâmica desse trabalho inclui a comunicação direta com o público. “Também fazemos ações de conscientização e de fiscalização”, conta. Segundo Piauí, a zeladoria da cidade conta com uma equipe de cerca de 40 pessoas da administração, quantitativo que, com o reforço do GDF Presente, obtém bons resultados. “A equipe sozinha não conseguiria, pois a cidade é muito grande”, diz.

Preparo para as chuvas

Nesse momento, a cerca de duas semanas do início das chuvas no DF, o GDF Presente empreende uma força-tarefa para desobstruir as bocas de lobo das cidades e evitar os alagamentos. Na última semana, os trabalhos foram feitos no Plano Piloto, em Samambaia, no Cruzeiro e em Vicente Pires. Agora, o mutirão atua na Asa Norte e em Samambaia, Estrutural, SIA, Sobradinho II e Itapoã.

A área rural tem sua própria unidade, com equipamentos da Secretaria de Agricultura (Seagri) e do Departamento de Estradas e Rodagem (DER). Em 240 dias, o Polo Rural patrolou 437 quilômetros de estradas rurais, fez melhorias em pátios de escolas e nas estradas de acesso e fez a drenagem de estradas de terra.

Conheça, abaixo, os polos por meio dos quais o GDF Presente empreende ações que levam melhorias a todas as regiões do DF.

Polo Central
Regiões: SCIA/Estrutural, SIA, Cruzeiro,  Guará, Granja do Torto e Sudoeste/Octogonal
Quantidade de equipamentos: 12

Polo Central Adjacente 1
Regiões: Plano Piloto, Lago Sul, Lago Norte, Taquari, e Varjão
Quantidade de equipamentos: 12

Polo Central Adjacente 2
Regiões: Candangolândia, Park Way, Núcleo Bandeirante, Águas Claras, Arniqueira e Vicente Pires
Quantidade de equipamentos: 9

Polo Oeste
Regiões: Brazlândia, Ceilândia, Samambaia e Taguatinga
Quantidade de equipamentos: 18

Polo Sul
Regiões: Gama, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II e Santa Maria
Quantidade de equipamentos: 12

Polo Leste
Regiões: Itapoã, Jardim Botânico, Paranoá e São Sebastião
Quantidade de equipamentos: 13

Polo Norte
Regiões: Fercal, Planaltina, Sobradinho e Sobradinho II
Quantidade de equipamentos: 12

Polo Rural
Quantidade de equipamentos: 24

Visualize aqui o balanço de 240 dias de ação do GDF Presente 

Galeria de Fotos

GDF Presente acumula toneladas de cuidados