1/10/20 10:33
Atualizado em 1/10/20 às 14:06

Centros olímpicos e paralímpicos a caminho da reabertura

Secretaria de Esporte trabalha na revisão do protocolo de segurança para garantir à população o melhor uso desses espaços

Com previsão de retomada em breve, as atividades desenvolvidas nos centros olímpicos e paralímpicos (COPs) estão no foco das ações da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL). A partir dos dados que registram a redução na curva de contaminados e mortos pela Covid-19, a pasta vai reavaliar o protocolo elaborado em parceria com as instituições responsáveis pela gestão pedagógica das unidades do COP, para garantir que a reabertura respeite todas as normas de segurança estabelecidas pelo GDF e comtemplem um número maior de alunos.

“Desde o princípio, quando foram retomadas as atividades esportivas em Brasília, nossa intenção era reabrir os COPs, garantindo saúde e qualidade de vida para quem mais precisa”, destaca a secretária de Esporte, Celina Leão. “Estamos em contato constante com os órgãos do governo que autorizam essa liberação, que deve sair o quanto antes. Como a nossa realidade mudou bastante, com a curva de contaminação caindo, nosso documento também precisou ser atualizado, mas nos próximos dias estará pronto.”

Protocolo e manutenção

Há cerca de três meses, a SEL preparou o documento, que foi encaminhado à área do GDF responsável pela análise. Assim como a retomada do calendário da rede pública de ensino, as aulas nas unidades esportivas precisaram ser postergadas devido aos dados da pandemia no período. Os professores e a equipe pedagógica das unidades, inclusive, já passaram por treinamento virtual, com a abordagem de conteúdos que envolvem informações gerais sobre a Covid-19.

“Ao mesmo tempo em que trabalhamos para a reabertura, os COPs foram preparados no contexto de manutenção, pequenas reformas e também com a sofisticação da parte tecnológica da área administrativa, com a inserção da internet”, explica o subsecretário dos COPs, Ziel Ferreira dos Santos. “Quando as unidades forem autorizadas a voltar a funcionar, eles estarão em melhores condições para o uso da população.”

* Com informações da SEL