13/10/20 19:44
Atualizado em 13/10/20 às 19:44

Debate público mira 600 vagas de acolhimento socioassistencial

Sedes esclarece dúvidas sobre edital que busca organizações da sociedade civil para trabalho com pessoas em situação de vulnerabilidade

Regras de distanciamento foram severamente mantidas durante a audiência pública | Foto: Secretaria de Desenvolvimento Social

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) promoveu nesta terça-feira (13) uma audiência pública sobre o edital de chamamento que busca organizações da sociedade civil para a abertura de 600 vagas de amparo socioassistencial a pessoas em situação de vulnerabilidade. O objetivo da pasta é dar mais um passo rumo à ampliação de vagas de acolhimento no Distrito Federal.

A subsecretária de Assistência Social, Kariny Alves Veiga, destacou que o principal objetivo de encontro foi sanar as dúvidas dos interessados em participar do certame. “Nos propusemos a esmiuçar o edital e ouvir os participantes. O texto é claro, mas é sempre bom essa troca de informações para ficar claro o objetivo do chamamento”, enfatiza.

Uma das questões destacadas pela comissão do edital é que as organizações selecionadas vão ter de implementar a atualização e o preenchimento no Cadastro Único (CadÚnico). Os colaboradores das instituições vão passar por uma capacitação promovida pela secretaria para a execução desse serviço.

Uma das dívidas que surgiu era sobre a quantidade de cidadãos que cada uma das entidades candidatas poderia acolher. Foi explicado, nos termos do edital, que cada organização pode atender até dois lotes de cidadãos, ou seja, 200 pessoas, uma vez que cada lote contempla 100 beneficiários.

Diferentemente do acolhimento em curso nos alojamentos provisórios montados no autódromo Nelson Piquet e no estádio Abadião, esse serviço é tipificado pela Política de Assistência Social, ou seja, tem uma série de normas e regras objetivas e pré-estabelecidas a serem seguidas.

Atualmente, especificamente nessa modalidade mais geral de atendimento para pessoas e famílias, a Sedes conta com uma instituição parceira e uma unidade de execução direta na prestação do serviço.

 

* Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social