26/11/20 15:55
Atualizado em 26/11/20 às 15:55

Fiscais reprimem parcelamentos irregulares em Brazlândia

Objetivo da operação do Brasília Ambiental foi preservar região administrativa que se destaca por abrigar relevantes APAs

Auditores fiscais do Instituto Brasília Ambiental realizaram, nesta semana, a Operação Preserva Brazlândia. O objetivo foi reprimir parcelamentos irregulares do solo em uma região administrativa que se destaca por abrigar relevantes Áreas de Proteção Ambiental (APA), como a APA da Bacia do Rio Descoberto, que fornece água para 70% da população.

As ações ocorreram no Núcleo Rural Alexandre Gusmão (Incra 7) e contaram com o apoio da Unidade de Tecnologia e Gestão da Informação Ambiental do Instituto, com o registro de imagens aéreas feitas por meio de drones e da Polícia Militar (PMDF).

Foto: Divulgação/Brasília Ambiental
Durante a operação foram feitas cinco notificações e registros fotográficos do atual estado de ocupação de cada propriedade com o uso de drone | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

O diretor de Fiscalização Ambiental III do Instituto, Néder Aquino Guida, destacou o caráter preventivo da ação. “Estamos trabalhando no combate ao parcelamento irregular de forma inteligente e sob novo prisma, utilizando ferramentas modernas e tecnológicas e, principalmente, quebrando o paradigma de agir após o fato ocorrido. Agindo de forma proativa, a fim de salvar das mãos de ‘grileiros’, uma área tão importante ambientalmente”, concluiu o diretor.

Notificações

Durante a operação foram feitas cinco notificações e registros fotográficos do atual estado de ocupação de cada propriedade com o uso de drone. Os levantamentos possibilitam melhor análise espacial e servem como referência para o monitoramento de eventuais tentativas de parcelamentos realizados de forma irregular na região.

A operação marcou também o primeiro voo, após a criação do Comitê Gestor de Operacionalização de Aeronaves Remotamente Pilotadas (CGRPA) e do lançamento do sistema Colibri, de agendamento de drones do Brasília Ambiental.

 

*Com informações do Brasília Ambiental