2/12/20 14:21
Atualizado em 2/12/20 às 14:50

Dezembro Vermelho terá várias ações

Equipes das UBSs farão atendimentos e testagem rápida para infecções sexualmente transmissíveis (ISTs)

Durante todo o mês, haverá trabalhos de prevenção, detecção e diagnóstico nas UBSs | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

O último mês do ano chegou e, junto a ele, a campanha Dezembro Vermelho. Em todo o Distrito Federal haverá ações da Secretaria de Saúde (SES) em alusão ao mês de luta e prevenção contra o HIV e a Aids.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (1º), em 2019 foram detectados 752 casos de HIV – aumento de 7,2% em relação a 2018, quando se registraram 701 – e diagnosticados 294 casos de Aids – mais 2,8% que em 2018, quando esse quantitativo foi de 286.

Na avaliação da SES, as ações de prevenção adotadas pela rede pública podem ter refletido para que esse aumento dos casos de Aids no DF em 2019 não fosse maior. “Essas estratégias fazem com que as pessoas que vivem com HIV sejam diagnosticadas precocemente, iniciando o tratamento de forma oportuna e mantendo um tratamento adequado”, explica a gerente de Vigilância de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Beatriz Maciel Luz.

População atenta

Graças às medidas de prevenção e diagnóstico oferecidas pela SES e ao interesse da população em manter a vigilância da doença, avalia a gestora, “essas pessoas estão vivendo com a carga viral indetectável e não chegam à forma mais avançada, que é a Aids”.

Em 2019, de acordo com o boletim, 92% das pessoas em tratamento com medicamentos antirretrovirais apresentaram carga viral indetectável. Essa situação apresenta um indicativo de que, apesar do aumento da infecção pelo vírus HIV, a adesão ao tratamento também pode ter aumentado, o que reflete também na redução do número de doentes com Aids.

Ações durante todo o mês

Durante todo este mês, as equipes de Saúde da Família que atuam nas unidades básicas de saúde (UBSs) farão trabalhos de prevenção, detecção e diagnóstico de HIV, Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis.

Essas ações ocorrerão nas próprias UBSs, que oferecerão programação diferenciada, além de procedimentos pontuais fora das unidades. Confira, na arte, o cronograma.

* Com informações da SES