15/1/21 12:39
Atualizado em 16/1/21 às 23:03

Mais agilidade com impostômetro e Nota Legal em tempo real

A partir de agora, é possível monitorar dados sobre arrecadação e a indicação dos créditos para IPTU e IPVA pelo Portal da Receita

A Secretaria de Economia (Seec) lança mais duas ferramentas de transparência fiscal para a sociedade. Agora, qualquer cidadão poderá acompanhar os dados das indicações de crédito no painel do Programa Nota Legal e os números da arrecadação de impostos, em tempo real, por meio do Impostômetro. Ambos estão disponíveis no Portal da Receita do DF.

“Essas novas ferramentas garantem transparência e dão condições para que a sociedade acompanhe nossa arrecadação e faça o controle social das receitas tributárias”, destaca o secretário de Economia, André Clemente. “É mais uma ação da Secretaria de Economia para prestar contas, com acesso rápido, facilitado e em tempo real.”

Durante as negociações do Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis 2020), já era possível acompanhar os números em tempo real, com apresentação dos valores pagos, do total a receber e do número de pessoas físicas e jurídicas que aderiram ao programa. Os valores renegociados ultrapassaram R$ 2,6 bilhões, mais de cinco vezes a meta prevista no início do projeto.

Indicações

No início desta semana, os dados relativos ao crédito do Programa Nota Legal apontavam mais de 93,6 mil indicações e um montante de R$ 16 milhões já indicados pelo contribuinte, incluídas informações sobre débitos de exercícios anteriores. A indicação de créditos no programa vai até o dia 31 deste mês. Basta acessar o portal do Nota Legal e imprimir o boleto já atualizado com o valor do desconto.

Já o Impostômetro oferece ao cidadão informações completas sobre a movimentação de impostos no Distrito Federal, com o valor total já arrecadado, em tempo real, e o extrato dos principais tributos, como ICMS, ISS, IPVA, IPTU, entre outros. Até a última sexta-feira (15), o painel mostrava que o Distrito Federal já havia arrecadado R$ 490,8 milhões em impostos.

* Com informações da Seec