21/2/21 18:34
Atualizado em 21/2/21 às 18:34

GDF retira 1.602 veículos do Parque Ecológico Burle Marx

Depois de décadas, ação conjunta de órgãos vai desocupar área de conservação ambiental

O Parque Ecológico Burle Marx ainda preserva uma das maiores manchas de cerrado da cidade, sendo considerado um corredor ecológico entre o Parque Nacional de Brasília e o lago Paranoá | Imagem aérea: José dos Reis de Matos/Brasília Ambiental

O Governo do Distrito Federal inicia, na próxima terça-feira (23), a retirada de 1.602 veículos que ocupam o depósito do Departamento de Trânsito do DF (Detran), localizado na poligonal do Parque Ecológico Burle Marx, no setor Noroeste. A iniciativa é uma parceria do Instituto Brasília Ambiental com a Secretaria de Governo (Segov), a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e o próprio Detran para desocupar o local. Também participam da força-tarefa o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), Novacap e as polícias Civil e Militar do DF.

A retirada desses veículos só trará benefícios à população, como o aproveitamento do parque pelos cidadãos e também a possível redução dos casos de dengue na cidadeJosé Humberto Pires, secretário de Governo

A articulação entre os órgãos foi conduzida pela Segov, que busca atender à solicitação dos órgãos ambientais ao cumprir as condicionantes do Noroeste, inclusive com a execução da compensação ambiental e florestal da área. “A retirada desses veículos só trará benefícios à população, como o aproveitamento do parque pelos cidadãos e também a possível redução dos casos de dengue na cidade. Estamos sempre trabalhando em prol da comunidade”, destaca o secretário de Governo, José Humberto Pires.

Para o presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, esta ação representa um importante avanço ambiental. “Estamos falando de uma ocupação histórica que, depois de décadas, será removida com um esforço conjunto do GDF. A retirada desses veículos da Unidade de Conservação é um anseio antigo e representa uma grande conquista para a sociedade”, comemora.

Os veículos serão transferidos para o Parque Rodoviário do DER, que está localizado na DF-001, espaço que, segundo a subsecretária de Políticas Públicas da Segov, Meire Mota, foi preparado e planejado com o objetivo de não causar danos ambientais e atender a população de maneira adequada. “Mesmo com a complexidade logística da operação, vamos atuar para que a retirada seja realizada de forma segura, organizada e ambientalmente adequada”, afirma.

A retirada desses veículos da Unidade de Conservação é um anseio antigo e representa uma grande conquista para a sociedadeCláudio Trinchão, presidente do Brasília Ambiental

De acordo com o Detran, o órgão entende a necessidade da operação e conta com a disponibilidade de guinchos e empilhadeiras dos diversos órgãos para solucionar o impasse visto que, desde que assumiu a direção-geral do Departamento de Trânsito, Zélio Maia não poupou esforços para encontrar uma alternativa a fim de “devolver à população aquele espaço que é tão importante do ponto de vista ecológico.”

Os veículos serão transferidos para o Parque Rodoviário do DER, que está localizado na DF-001 |Foto: Wilson Rossato/Detran/DF

Preservação ambiental

O Parque Ecológico Burle Marx ainda preserva uma das maiores manchas de cerrado da cidade, sendo considerado um corredor ecológico entre o Parque Nacional de Brasília e o lago Paranoá. O cercamento de toda a unidade e a ciclovia, com 5 km, às margens da Avenida W7, foram concluídos recentemente e o parque aguarda por infraestruturas de uso para a população do DF, voltadas para o Noroeste e a Asa Norte.

O Plano de Manejo do parque foi aprovado no último dia 25 de janeiro e conta com dez programas. Um deles é o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (Prad), que apresenta as diretrizes para a recuperação ambiental das áreas do parque que sofreram processo de degradação, com plantios, desenvolvimento de ações de controle e adoção de medidas de mitigação de ação dos agentes causadores dos danos.

*Com informações do Brasília Ambiental