11/3/21 20:08
Atualizado em 11/3/21 às 20:08

Atendimento na UPA do Recanto das Emas está normalizado

Fumaça provocada pela liberação de oxigênio no reservatório assustou pacientes, mas problema foi logo resolvido

Por questão de segurança, alguns pacientes foram transferidos para outras unidades| Foto: Davidyson Damasceno/Iges-DF

Já está totalmente normalizado o atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Recanto das Emas, que foi parcialmente interrompido na manhã desta quinta-feira (11) por causa de um incidente técnico registrado no sistema de armazenamento e distribuição de oxigênio. Ainda pela manhã, a situação já estava sob controle. Nenhum dano material foi registrado e nenhum paciente deixou de ser atendimento por causa do incidente, segundo informou a direção do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF), que administra a UPA do Recanto.

“A válvula de segurança detectou um acúmulo de pressão, o que levou a liberar espaço dentro reservatório. A liberação do produto gerou a fumaça, que assustou os pacientes. Mas foi só um susto”Maurício Amorim de Oliveira, engenheiro mecânico do Iges-DF

Eram 5h30 de quinta-feira quando foi detectada uma nuvem de fumaça branca saindo do taque de oxigênio da unidade. A fumaça surgiu porque o tanque recebeu forte pressão, o que provocou a liberação de oxigênio para disponibilizar espaço no reservatório. “A válvula de segurança detectou um acúmulo de pressão, o que levou a liberar espaço dentro reservatório”, esclareceu Maurício Amorim de Oliveira, engenheiro mecânico do Iges-DF. “A liberação do produto gerou a fumaça, que assustou os pacientes. Mas foi só um susto”.

O problema foi contido rapidamente. O tanque de reserva da UPA foi acionado e balas de oxigênio foram disponibilizadas para não interromper o fornecimento do produto aos pacientes. Por questão de segurança, alguns pacientes tiveram que ser transferidos para outras unidades, sendo transportados em ambulâncias do instituto, do SAMU e do Corpo de Bombeiros.

Durante toda a operação, nenhum paciente ficou sem assistência. “Ninguém foi prejudicado”, garante a chefe da Vigilância Epidemiológica das UPAs, Irene Ferreira. “Foram transferidos apenas os pacientes que estavam usando oxigênio, permanecendo os que não dependiam do produto naquele momento. A transferência foi para garantir a segurança desses pacientes”.

O estoque de oxigênio na UPA do Recanto das Emas está regular. O reservatório principal, com capacidade para 5 mil metros cúbicos, registrava nesta quinta-feira 92% de ocupação. A UPA conta ainda com uma central de backup com seis cilindros de 10m³ e mais seis de reserva. Além disso, dispõe de três cilindros de 2m³ e mais nove cilindros de 1m³, sendo seis em estoque e três nas salas de atendimento.

*Com informações do Iges-DF